03×13 – Three Bells

03×13 – Three Bells

Mais um episódio de Chicago Fire, com a NBC a apostar em mais um crossover com Chicago PD. Este é sempre um motivo para alguma curiosidade, até pela campanha que a NBC foi fazendo nas redes sociais.
Foi também uma semana marcada pelo anúncio da produtora sobre a renovação da série para uma quarta temporada.

O destaque desta semana continua a ser o incêndio que vitimou Shay. Agora que há a certeza que o mesmo teve mão criminosa, a equipa fica cada vez mais apreensiva. A trama ganha outra proporção quando um recluso chama Severide à prisão para lhe dizer que tem informações sobre o “acidente”. Entretanto, a irmã de Shay chega a Chicago para se inteirar da situação. Uma coisa é saber que a irmã morreu, vítima de um acidente enquanto trabalhava. Outra coisa é saber que perdeu a vida devido a um ato criminoso. As coisas ficam ainda mais intrigantes quando os bombeiros estabelecem uma relação entre a morte de Shay e a morte de Henry Mills, pai de Peter. Era de esperar que quando Peter soubesse disto, ficasse ainda mais desnorteado. Os últimos tempos não têm sido fáceis para o jovem paramédico.
A investigação acaba por identificar um suspeito. Adrian Gish já tinha sido investigado em outros dois incêndios mas nunca foi condenado. Quando Severide e a capitã vão tentar falar com ele, fica claro que o homem sabe mais do que aparenta. Sinceramente, não sei como foi possível Severide segurar-se no primeiro encontro com Adrian, depois de tantas provocações.

Durante uma emergência, Brett e Mills acabam por apanhar um susto quando lidam com um ex-presidiário que pretendia voltar à cadeia. Para o conseguir, ataca Brett com uma faca, violando assim a liberdade condicional. Claro que a dupla de paramédicos não percebeu bem o que ali aconteceu, apesar de ser notório que o homem tinha problemas mentais. E por falar em problema, no meio desta situação, o problema acaba por ser o facto de Megan, a irmã de Shay, ter assistido a tudo. Isto acabou por mostrar-lhe as fragilidades e os perigos do trabalho que a irmã tinha.

A cerimónia de homenagem a Shay foi muito marcante, emotiva. Mas confesso que me parece um pouco descontextualizada. Por dois motivos. Primeiro porque a paramédica já morreu há algum tempo. E segundo porque a equipa acabou de saber que não foi um acidente mas sim um homicídio. Parece-me fora de tempo.

Situação estranha: após um salvamento levado a cabo por Casey (que ainda apanhou um susto), Gabby fala com o seu tenente como se ainda tivessem uma relação amorosa. Aliás, até Casey ficou surpreendido.

Confesso que estava à espera de mais. Foi um episódio que esteve uns furos abaixo do normal, do esperado, especialmente pelo assunto principal e por ser um crossover. Aliás, se não tivesse lido sobre o assunto, não diria que este episódio fazia parte de um crossover. A boa notícia é que a continuação, em Chicago PD, foi muito melhor.

Nota: 7/10

Ricardo Almeida