Classificação

7
Interpretação
7
Argumento
7
Realização
5
Banda Sonora

[Esta review contém spoilers!]

Bem, acho que posso dizer que tivemos um episódio como deve de ser, não digo muito bom mas também não vou dizer que foi tão mau como os três primeiros, este episódio é mais concentrado em Kurt. Como se devem lembrar no episódio anterior tivemos um pequeno twist no final, onde Kurt foi apanhado e Jane foi baleada, e basicamente o início do episódio cinco começa com uma cena de tortura ao agente e ao mesmo tempo que o colocaram sob a influência de drogas, de forma a que ele revelasse onde se encontra o resto do grupo.

Penso que para a última temporada, tentaram criar um episódio para cada um dos personagens, onde pudéssemos obter informações sobre o que os atormentava e mesmo vê-los em situações mais complicada. Neste eu sinto que Kurt interpretou muito bem, acho que esteve mesmo à altura e fez um papel brilhante. No desenrolar do episódio vemos o grupo Dabur Zan em busca de respostas para descobrirem o paradeiro dos outros agentesKurt com todas as drogas no seu sistema, acabou por alucinar com duas pessoas, sendo que a primeira é Oscar, o antigo noivo de Jane que continua a questionar o relacionamento de Kurt e Jane, fazendo-o acreditar que Oscar e Jane continuam a ser almas gémeas e a segunda alucinação foi o seu pai, Bill, que o fez sentir-se culpado pela morte do seu amigo de infância Taylor Shaw, este que terá sido morto pelo pai de Kurt e ao mesmo tempo relembrou Kurt da quantidade de pessoas que ele foi matando ao longo da sua carreira. O grupo terrorista fez Kurt acreditar que ele também era o culpado de Bethany estar no hospital e que se ele fosse um pai de verdade teria feito escolhas diferentes. Basicamente, tentaram encontrar o ponto fraco de Weller e ele lentamente acabou por revelar que a equipa estava escondida num bunker.

Ao mesmo tempo, tínhamos Jane que precisava de uma cirurgia e como é óbvio ela não podia entrar num hospital, por isso mesmo pediu ajuda à equipa para que elas fizessem a cirurgia enquanto Jane as ensinava, visto que elas nunca tinham feito uma cirurgia, mas houve um contratempo: Jane precisava de sangue e Zapata não podia dar porque estava grávida. Foi aí que Rich se lembrou que conhecia alguém capaz de arranjar o sangue numa hora. Rich apareceu com o sangue e graças a Deus que eles foram capazes de fazer uma transfusão a Jane e conseguiram salvar a sua vida. Zapata acabou por ir ao encontro de Kurt e encontrou-o a lutar contra o grupo de terroristas e ele acabou por apontar uma arma a Zapata, visto ainda estar sob a influência de drogas.

O casal acabou por se reunir, e Jane lá conseguiu acalmar Kurt e fê-lo perceber que ele é um bom homem e nada daquilo que viu nas alucinações. E no final temos novamente uma cena que promete dar que falar no próximo episódio, onde o grupo se depara com aqueles que ajudaram Rich e que lhe dizem que ele deve algumas pinturas.

Sinto que o episódio acabou por ter mais ação e que o grupo se deparou com desafios mais complicados que os anteriores. Não digo que foi um episódio à Blindspot da 1.ª temporada, mas não foi péssimo, acredito que os episódios não vão ser espetaculares, mas vai dar para entreter durante uns tempos e quem sabe se o próximo episódio vai ser sobre a nossa Jane Doe, o que seria se calhar mais interessante.

E vocês, o que acham? Acreditam que a série vai deixar saudades?

Marta Pinto