Classificação

7
Interpretação
7.5
Argumento
7
Realização
5
Banda Sonora

[Esta review contém spoilers]

Finalmente chegou um episódio bonzito de Blindspot, onde acompanhamos Zapata a relembrar o seu primeiro caso com Reade, que se torna crucial para o caso atual deles. O episódio passa-se quase todo no bunker, e oscila entre memórias do passado e momentos de interação entre eles no futuro. Foi bom ver Zapata finalmente a completar o seu arco e o seu luto por Reade, pode ser que melhore daqui para a frente.

A transição das cores era um bom auxílio visual para a alternância entre passado e presente, quando Zapata se lembrava do caso víamos sempre cores mais claras e muito mais azuis por algum motivo, enquanto que o bunker era escuro. Isso pode ter sido planeado para mostrar um tempo onde eram mais felizes em comparação com agora, e onde curiosamente ainda não tinham conhecido a Jane. Ver a equipa a interagir de uma forma normal e engraçada foi, sem dúvida, uma boa mudança face aos últimos episódios e a química entre Reade e Zapata foi claramente palpável desde o primeiro momento do episódio. Foi interessante descobrir mais sobre o passado deles, onde puderam construir a relação de confiança que tinham.

À medida que íamos avançando no episódio, víamos Zapata no momento atual a lutar contra os seus sentimentos, dúvidas e medos e a confessar a Rich um segredo que mais ninguém do grupo sabe, ela está grávida com o bebé de Reade, portanto ele morreu mas teve a chance de continuar o seu legado com um descendente. O que torna a sua luta muito pior, porque já não está a lutar apenas pela vida de cinco pessoas mas sim de seis.

Quando finalmente Zapata se lembra do caso completo, nomeadamente do armazém onde os produtos químicos estavam armazenados, ela é posta numa situação muito idêntica à do episódio anterior. A Jane e o Kurt dentro do armazém a trocar tiros e a precisar da sua ajuda. Com um empurrãozinho metafórico de Reade, que aparece na forma de visão, Zapata entra e o episódio caí um pouco no exagero de a meter a fazer umas cambalhotas enquanto dispara e mata os bandidos. Quero dizer, sabendo que estava grávida não parece a manobra mais inteligente e necessária, podia ter sido uma cena de tiros sem acrobacias desnecessárias.

No final somos ainda surpreendidos com um pequeno twist, que promete acelerar a história nos próximos episódios. Kurt foi apanhado por Madeline. Será que a equipa vai ter que fugir do bunker? O procedimento manda fazer isso mesmo e assim Kurt poderia dizer-lhes onde era o esconderijo numa tentativa de prolongar a sua vida. Sem ter sido genial, este episódio já foi bem mais tolerável que os anteriores têm sido. Se continuar assim, não vai deixar muitas saudades mas pelo menos vai entreter durante mais nove semanas.

O que acharam do episódio?

Raul Araújo