Classificação

7.5
Interpretação
7.6
Argumento
7.3
Realização
6.8
Banda Sonora

[Contém spoilers]

“What every boy should know.”

A Amazon Prime já nos começa a habituar com um leque de séries frescas e diferentes, tendo ideias originais que valem a pena espreitar. Este mês, a comédia dramática que nos apresenta é The Dangerous Book for Boys, que irá encantar os sonhadores.

Da mente de Bryan Cranston, mais conhecido pelos seus papéis como ator (Breaking Bad, Malcolm in the Middle), mas também já com uma vasta experiência como produtor (Sneaky Pete, Electric Dreams), e com a ajuda de Greg Mottola (Adventureland, Superbad) chega-nos uma aposta ambiciosa da adaptação do livro (com o mesmo nome da série) dos irmãos Conn Iggulden e Hal Iggulden que tenta conjugar uma abordagem humorística de um momento trágico e devastador.

The Dangerous Book for Boys vendeu mais de 1.5 milhões de copias a nível mundial.

Bryan Cranston admite que quando a oportunidade para a adaptação lhe surgiu, a ideia vinha virada para o departamento de drama, mas Bryan não conseguiu encontrar nada que fizesse avançar a história. Só quando decidiu focar a narrativa sobre a perspetiva das fantasias das histórias deixadas pelo pai das crianças é que se fez clique e o tom mais leve para falar sobre um assunto sério eventualmente deu origem à serie que vemos hoje.

Tenho então a honra de vos apresentar a família McKenna: Chris Diamantopoulos nos papéis de pai e tio; Erinn Hayes é a mãe, Swoosie Kurtz interpreta a amalucada avó e, claro, as crianças, que são as verdadeiras estrelas da série, Gabriel Bateman, Drew Powell e Kyan Zielinski. Embora todos se enquadrem bem nos papéis que conseguiram, há que destacar Erinn Hayes, que faz uma excelente Beth McKenna e Gabriel Bateman no papel de Wyatt McKenna sem o qual não há dúvida que não existiria série.

Imaginem agora por um momento a história de uma família que perde o seu patriarca, uma esposa que acorda sem o marido, uma mãe que vê o seu filho partir antes dela, um irmão que perde o reflexo do espelho e três filhos que terão de crescer sem os conselhos e ensinamentos do pai. Uma verdadeira comédia esta sinopse, não é? Mas é aí que The Dangerous Book For Boys brilha e se destaca por conseguir transformar a tristeza num sorriso e mostrar que existe esperança mesmo nos piores momentos. Podemos identificar alguns elementos semelhantes ao filme Jumanji, mas existem parecenças principalmente com Bedtime Stories (filme com Adam Sandler). A nível atual, a comparação pode ser feita com o filme I Kill Giants, embora os dois se distingam na forma como é contada a história.

Apesar de Patrick ter partido, deixou um livro feito por ele aos filhos que serviria de professor e conselheiro para todas as situações com as quais um jovem rapaz se depara enquanto cresce. Quem leu o livro pode ter reparado que “How To Walk On The Moon” não é um capítulo que exista, no entanto existem capítulos focados em astronomia, astrologia e um focado exclusivamente na Lua e que juntos deram então a inspiração para este episódio.

A série destaca-se pelo foco nas fantasias das crianças e as lições que aprendem com cada capítulo do livro que vão lendo. A qualidade da realização das fantasias e das invenções do pai também é outro dos pontos positivos.

Em nota de curiosidade, sabiam que o carrossel para cinco pessoas que vemos neste episódio, segundo Matthew Milstein, o responsável dos acessórios da série, foi a invenção mais difícil de criar em toda a temporada?

A temporada completa, de seis episódios, está então disponível na Amazon Prime. Apesar de restar a dúvida se o formato para a narrativa não teria tido mais sucesso numa minissérie (de três episódios, por exemplo) ou num filme, The Dangerous Book for Boys é uma série que merece uma oportunidade. A nível internacional tem sido recebida com um misto de crítica havendo opiniões a variar desde “só mais uma série” para “uma melancólica e encantadora comédia com uma importante mensagem”. Espreitem e deixem as vossas opiniões.

Emanuel Candeias