3x14 - The Tower

3×14 – The Tower

 

Contém SPOILERS.

Confesso que o ‘protagonista’ deste episódio me deixou surpreendida. Charming é das personagens mais populares da série, mas não pela mesma razão que Regina, Rumplestilskin ou Emma. No seu geral, David é um homem simples. Um marido apaixonado, um pai devoto e boa pessoa. Tudo isto é muito bonito, mas tudo isto torna o nosso príncipe uma personagem pouco complexa. Já tinha pensado nisso e este episódio deu-me razão. Estava na hora de mexerem um pouco com a vida de Charming. Na maioria, as suas histórias são com Snow. Todavia, enquanto que ela se consegue impor sem o marido, o mesmo não posso dizer dele.

Então, este novo episódio começa com uma cena deveras perturbadora entre David e Emma. Digo isto porque me faz confusão ver Emma toda embonecada e de de vestidinho. Já nem falando daquela dança entre eles. Quando acorda (ainda na Enchanted Forest) Snow informa-o que vão ser pais novamente (a sério? com aquela barriga eles ainda não tinham suspeitado?).

Em Storybrooke, Emma, Charming e Hook continuam com a sua busca pela Wicked Witch. Ao vasculhar o escritório de Regina, descobrem uma baga, o que os leva até à floresta.

Entretanto, Snow liga ao marido para entrevistarem a parteira. Eu estou a apreciar a ironia da coisa e tal, mas estou mesmo deserta que Zelena seja finalmente descoberta! Durante a entrevista, Zelena coloca algo suspeito no chá de Charming. E ela na cena com Rumple tinha-lhe dito que ia obter algo que ambos desejavam…

Na Enchanted Forest, Charming fala com Robin Hood acerca do seu medo com a chegada do novo filho. Hood conta-lhe então de uma raiz mágica que crescia numa floresta e que eliminava os seus medos. Já no local, uma mulher grita de uma torre. Rapunzel. Ela diz-lhe que o chamara para ele não tomar a raiz e que foi isso que a colocou naquela torre. Para Charming, este episódio foi importante para o seu desenvolvimento mas creio que podiam ter dado melhor uso a uma personagem tão famosa como Rapunzel. Já que se anda a falar tanto de adaptar princesas da Disney à série (como as de Frozen ou Brave) porque não a Rapunzel de Tangled?

Parece que as guest-stars têm mais sorte na série que as principais. A princesa acabou por conseguir por enfrentar os seus medos  (e a bruxa) e derrotá-los. No final, encontra-se com os pais mais confiante no seu futuro como governante. Charming acabou por ser o herói, mas em Storybrooke a história foi outra, porque ele ingeriu a raiz (ainda que sem saber).

Quando volta para a floresta para continuar as buscas, Charming descobre novamente a bruxa (que é igual a si) e manda uma mensagem a Emma a dizer que descobriu a bruxa (claro que ele não se lembrava que já tinha lutado uma vez). David acaba por derrotá-la mas a sua espada evapora-se. Mais tarde, Regina suspeita que aquilo já teria acontecido e que a espada simbolizava uma das maiores características da sua personalidade: a sua coragem. Infelizmente, ficamos ainda sem saber saber bem o que isto significa. Será que era isto que Zelena falara a Rumple? Quem ambos queriam ser corajosos?

Emma e Hook descobrem uma casa (gostei das referências ao filme Wizard of Oz) de 1939) e chegam à conclusão que só pode o esconderijo da Wicked Witch. É pena que eles tenham saído antes de terem encontrado Rumple. Quando voltaram lá com Charming e Regina a jaula estava vazia, mas pelo menos agora já sabem que o feiticeiro está vivo. Finalmente!

No seu geral, foi um episódio forte. Realmente, Once Upon a Time não está a desiludir após a sua ausência prolongada. O problema é que eles fazem mais perguntas do que respondem e só havemos de saber o que se está verdadeiramente a passar no final da temporada. Também lamento ainda não terem feito nada em relação em Henry (mas também reconheço que eles andem mais preocupados com a Wicked Witch) e ao pouco uso de uma personagem tão boa e amorosa que é Belle. Mas já vi que no próximo ela já volta. Assim como Neal. E eu sei que a Snow mas está grávida e não é muito aconselhável ela se meter nesta caça à bruxa mas não acredito o quão fácil está a ser para Zelena enganá-la! OK, ela conhecia a Johanna, but so what? Gostei muito do passeio da Regina e do Henry (apesar de não perceber como é que o pessoal de Storybrooke a deixa andar à solta visto que pensam que foi ela a autora da maldição). Além disso, penso que faltaram aqui mais personagens secundária. Porque não pedir ajuda aos anões? Veremos como isto tudo se desenrola!

Nota: 8/10

Maria Sofia Santos