5_FULL

10×12 – Get Up, Stand Up

Este foi o episódio do casamento de April e Matthew. E como a noiva se queixou de toda a gente lhe estar a ‘roubar’ o dia com revelações e discussões, vou começar por lhe dar toda a atenção e depois passar a coisas mais interessantes. Desculpa, April, mas sabes que não morro de amores pela tua storyline.

Toda a gente tem que ir para o hospital no dia do casamento? Arizona foi, Bailey também… Ao menos April não foi trabalhar, foi só convocar as damas de honor para a prova de vestidos. Cruzou-se com Jackson, disse que gostava que ele fosse ao casamento e Jackson disse-lhe que então iria. A noiva ainda se encontrou com Matthew, que não devia vê-la antes de ela chegar ao altar, mas isso foi apenas um percalço. Depois andou atrás de Cristina e Meredith e enfiou-as numa sala a experimentar os vestidos cor-de-rosa. Ok, o cor-de-rosa pode não ser propriamente a cor de nenhuma delas, mas os vestidos eram realmente muito giros (nem acredito que fiz um comentário sobre roupa, mas agora já está). E saltamos para a cerimónia, palco da desgraça. O que eu pedi mentalmente para não haver nenhuma cena estúpida à Hollywood, em que a noiva ou o noivo desistem ou alguém da plateia interfere. O meu pedido não resultou e o prémio para o idiota do episódio vai para Jackson, que se levanta e declara o seu amor por April. A sério, fazer estas coisas na Hora H irrita-me como tudo! Matthew fica com cara de poucos amigos (sou a favor de que ele depois parta a cara lindinha de Jackson com um soco) e o episódio acaba com a resposta por dizer de April. Que óptimo acabar desta maneira desinteressante, que assim não vou passar o hiato em pulgas com o que irá acontecer.

Espero bem que April ame Matthew a sério e que dê uma nega a Jackson. Se isso não acontecer, bem, só prova que Matthew fica melhor sem April. Detesto esta história das séries de que as pessoas se contentem com o ‘second best’ enquanto a primeira escolha anda cheia de dúvidas. Outra pessoa que provavelmente precisará de bater a Jackson é Stephanie, que assistiu àquela palhaçada toda.

Meredith e Cristina resolveram instalar a 3.ª Guerra Mundial no hospital. Cada uma merecia um par de estalos (estou-me a sentir um bocado violenta hoje, desculpem) a ver se se passavam a comportar melhor. Meredith acusou Cristina de ser arrogante, Cristina atirou à cara de Mer que ela se tinha tornado o tipo de pessoa de quem antes se riam… Disseram uma dúzia de coisas feias uma à outra, perdendo uma boa oportunidade para estarem caladas ou, pelo menos, de filtrarem. Mas depois as coisas melhoram, as duas até têm uma conversa civilizada, dizem umas coisas simpáticas, roubando um pouco do protagonismo a April que, claro está, se queixou.

E neste episódio é Callie quem está de melhor humor. A sério, ela e a Arizona alternam a simpatia por episódio? A Callie está entusiasmada com o projecto que está a desenvolver com Derek, o tal em que ela começou pela Arizona. Só que Arizona não está muito interessada em ouvir. Passa o episódio sentimental com o casamento (o que foi engraçado) até que decide revelar a April o porquê de ter traído Callie. E sim, esta foi a parte mais interessante para mim, depois de tantos meses em suspense. Continuo chateada por ela ter traído, mas fiquei contente por o motivo ser algo em que eu pensara: a Lauren apareceu, não conhecia a Arizona de antes do acidente, não tinha nenhuma ligação emocional a ela, mas sentiu-se atraída. E isso aconteceu numa altura em que Arizona não se sentia bem com ela própria e ver que alguém estava interessada mesmo assim, teve muito poder sobre ela. O motivo não justifica nada, mas ao menos agora temos uma resposta…  E Arizona revelou ainda que a Callie está a tentar tomar conta dela e que isso dá com ela em doida, apesar de a amar e querer que resolvam as coisas… Eu espero bem que elas decidam sentar-se e conversar, porque estão a precisar seriamente.

Derek está a ser abordado para entrar num projecto de investigação onde lhe oferecem muito dinheiro. Até recebe uma chamada do Presidente (sim, dos Estados Unidos), mas parece-me que terá rejeitado envolver-se. Derek parece-me muito empenhado em passar mais tempo com os filhos para que Meredith possa crescer como cirurgiã e acho que é um acto muito bonito da parte dele.

Bailey está de volta, mas a evitar fazer cirurgias. Richard regressou ao trabalho e Shane está a passar das marcas. Está a tornar-se demasiado arrogante, achando que não precisa da ajuda de ninguém. Demasiado ousadia num cirurgião pode ser perigosa. A história da Heather também voltou a dar-lhe cabo da cabeça e ele começa a passar-se. Está a precisar de umas valentes férias. Leah andou numa de achar que devia tentar reconquistar Arizona, mas depois apercebeu-se que isso a faria parecer uma maluca e desistiu da ideia. Muito sensata, uma vez que a Arizona nunca a iria querer, a não ser que as coisas com a Callie voltassem a dar asneira.

Alex e o pai tiveram uns momentos, Alex recordou algumas coisas boas do passado, mas não gostou quando o pai insinuou que a mãe dele lhe tinha dificultado as coisas e basicamente disse ao pai que ele tinha feito o que estava certo ao deixá-los, porque isso lhes permitiu a todos ficarem melhor. E disse-lhe que tentasse resolver as coisas com a outra família. Depois, ainda assistimos a um momento apaixonado entre Alex e Jo, em que ele lhe disse que se fossem pais iriam ser excelentes. Sorte a dele de Jo não ter ficado assustada com a conversa. Espero que seja o fim do pai de Alex na série, é uma história que não me agrada.

Tendo sido o ‘winter finale’, foi um episódio que deixou um pouco a desejar, mas há algumas questões que, a serem bem exploradas no regresso, poderão originar algo de interessante.

Nota: 6/10

Diana Sampaio.