Classificação

7.5
Interpretação
7.2
Argumento
7
Realização
7.4
Banda-Sonora

Já estavam com saudades da Academia do FBI em Quantico? Pois bem, Alex Parrish continua a ser o alvo das atenções do mundo pelo ato bombista em Grand Central, pelo qual foi incriminada. No episódio anterior tínhamos visto que uma das gémeas estava presente no local do atentado antes de o edifício explodir, mas será que está envolvida?

“Go” começa exatamente com a Team Parrish a tentar desvendar a situação das gémeas e a situação parece não ser muito elucidativa. Enquanto procuram por respostas, uns meses antes, na Academia, os recrutas são submetidos a um teste que, eles próprios, não sabem bem se se trata de um exame ou não. A situação problemática leva-os a decidir como agir sob pressão e a tomar decisões em prole de salvarem não só a sua pele, mas também a dos  que os rodeiam.

Flashbacks e exercícios de treino são sempre o prato do dia em Quantico, mas enquanto é cedo para atirarmos respostas e chegarmos a conclusões, os argumentistas têm apostado no desenvolvimento dos personagens, o que, de certa forma, tem elevado a qualidade do enredo a um nível acima do que tinha quando começou. Claro que a série ainda apresenta uma fórmula muito básica e vulgar, mas tem os elementos necessários para ser uma boa série de domingo.

Pelo facto de nos estarmos a aproximar da paragem natalícia, a narrativa começa a adensar-se e a complicar as coisas, dando uma dimensão significativa ao elenco e aos papéis que interpretam, nomeadamente a Team Parrish, que tem vindo a aumentar e que, de certa forma, nos leva a eliminá-los como sendo o potencial terrorista.

Mesmo a nível relacional, os atores parecem ter melhorado a sua química, que até agora era infantil e pouco credível. Ao finalmente sentirmo-nos realmente envoltos na história, Quantico abre portas para corrigir algumas das suas falhas iniciais, criando clima entre os personagens e fugindo das situações já clichés de séries/ filmes policiais.

Nunca é demais dar um elogio a Priyanka Chopra, que é carismática, nem a Rick Cosnett, que cresce como ator. Mesmo assim, Quantico ainda tem muito para caminhar se quer trazer algo de novo e que atribua uma característica original a um enredo primário e vulgar.

Jorge Lestre