Classificação

7.2
Interpretação
7.1
Argumento
7.3
Realização
7.5
Banda Sonora

Atenção: esta review contém spoilers!

New Lies. New Liars.

No passado dia 20 de março, Pretty Little Liars: The Perfectionists teve a sua antecipada estreia no canal americano Freeform (e, para nós, na manhã seguinte na HBO Portugal). O spin-off de Pretty Little Liars partilha com o seu antecessor muito mais do que apenas o nome: como devem já saber, a série criada por I. Marlene King conta com a participação de caras conhecidas aos fãs da série, como é o caso de Sasha Pieterse (Alison DiLaurentis) e Janel Parrish (Mona Vanderwaal).

Baseada no livro homónimo de Sara Shepard, Pretty Little Liars: The Perfectionists segue Alison até Beacon Heights, onde esta começa o seu novo trabalho enquanto professora assistente na BHU (Beacon Heights University), onde Mona também trabalha. Apesar do cenário aparentemente pacífico, o ambiente competitivo de Beacon Heights leva os seus residentes ao limite, e Alison não tarda a encontrar-se no centro da investigação ao homicídio de Nolan Hotchkiss (Chris Mason), um dos seus alunos.

O elenco desta sequela conta ainda com alguns nomes que se destacam, como é o caso de Sofia Carson, que interpreta Ava e já participou em outros projetos de King, e Sydney Park, reconhecida facilmente por aqueles que vêm The Walking Dead. Das faces mais conhecidas, Kelly Rutherford é sem dúvida a que mais se destaca. A atriz de Gossip Girl interpreta Claire Hotchkiss, a fundadora das Indústrias Hotchkiss e da universidade onde a série decorre. Kelly parece-me uma excelente adição à série, que tem todo o ar de ser um blend de Gossip Girl e Pretty Little Liars, com um toque de Person of Interest à mistura.

No elenco principal, encontramos ainda Eli Brown, Hayley Erin e Graeme Thomas King, que interpretam Dylan Walker, Taylor Hotchkiss e Jeremy Beckett, respetivamente.

É muito difícil falar deste episódio sem entrar em grandes spoilers, mas falemos sobre aquilo que posso dizer. O ritmo acelerado de PLL: TP faz com que várias questões sejam respondidas pouco depois de serem colocadas, o que me surpreendeu bastante. Nesse sentido, existe um contraste claro entre esta série e a sua antecessora, que preferia arrastar as coisas durante longos períodos de tempo. Este episódio piloto coloca todas as cartas de cima da mesa – talvez demasiadas, na minha opinião. Preferia que algumas coisas tivessem sido inseridas de forma mais gradual, mas mesmo assim foi relativamente fácil acompanhar tudo aquilo que aconteceu.

Fácil foi também a tarefa de criar empatia para com as personagens da série. Neste aspeto, tinha algum receio em ver a série, mas a verdade é que as personagens foram bem concebidas e, aliadas à atmosfera de mistério de PLL: TP, acabaram por ser bastante cativantes.

Pretty Little Liars: The Perfectionists fez grandes promessas no que toca à representação LGBT+ na série e, honestamente, cumpriu essas promessas. Entre personagens principais e secundárias, existem pelo menos seis que são bissexuais ou homossexuais. Mas quantidade nem sempre representa qualidade, e um dos principais casais de Pretty Little Liars parece ter os dias contados nesta nova série.

Em termos técnicos, PLL: TP destaca-se neste primeiro episódio pelo seu grande orçamento, traduzido na quantidade de cenas filmadas ao ar livre e na qualidade da realização. Episódios futuros contarão com Ashley Benson neste papel e, sendo uma grande fã de atores que expandem os seus horizontes, mal posso esperar por este momento.

Como fã devota de Pretty Little Liars, tenho a dizer que PLL: TP não me desiludiu, apesar das minhas dúvidas iniciais. Quando este spin-off foi anunciado, estive de imediato contra a sua realização, mas os anos que passaram, entretanto, fizeram-me mudar de opinião. Ainda não acho que havia qualquer necessidade de uma outra sequela, especialmente após o fracasso que foi Ravenswood, mas PLL: TP tem asas para voar. Tudo depende agora das decisões que serão tomadas daqui em diante.

Inês Salvado