Já há uns anos, lançamos aqui no site uma crónica sobre o nosso elenco de sonho para uma série e desta vez decidi fazer o mesmo exercício, mas com aquele que seria o meu elenco de eleição para uma comédia. Escolhi então dez nomes cujos trabalhos me convenceram que seriam boas opções para arrancar umas valentes gargalhadas. Sonhar continua a ser de borla, portanto aqui ficam os meus escolhidos:

Allison JanneyAllison Janney: Já conhecia Allison de dois filmes que adoro, The Hours e The Help, mas em nenhum dos dois tem um grande destaque ou papéis propriamente cómicos. No entanto, quando comecei a acompanhar Mom ocasionalmente na televisão, demorei pouco tempo a considerar que estava perante uma das poucas séries dos últimos anos que acho verdadeiramente engraçada. O protagonismo da comédia é partilhado com Anna Faris, mas para mim é Janney a alma da série, sem qualquer dúvida. Também adorei vê-la num registo bem diferente em I, Tonya, onde desempenha um papel muito diferente do de Mom, mas também muito engraçado à sua maneira e que lhe valeu o merecido Óscar de Melhor Atriz Secundária.

chris-prattChris Pratt: Parks and Recreation talvez seja o papel cómico mais marcante da carreira de Chris, mas tenho uma coisa a confessar: não vi mais do que dois ou três episódios da série. Pratt parece ser daquele atores com quem quase todos simpatizam, porque dá a sensação de que o próprio é mesmo um tipo engraçado e que não está apenas a desempenhar papéis. Também tem uma boa legião de fãs dentro do sexo feminino, mas sinto-me contente por dizer que já tinha uma ligeira paixoneta por ele muito antes de ter ficado cheio de abdominais. Ele conquistou-me logo em Everwood, um drama familiar onde faz parte do elenco principal, dando vida a Bright, um miúdo pateta e muito engraçado do liceu. A sua carreira está recheada de filmes cómicos do género que eu não perderia muito tempo a ver se Pratt não fizesse parte do elenco. Aliás, não costumo ser particularmente fiel ao trabalho de atores do sexo masculino, nem fugir muito dos meus géneros preferidos, mas Pratt é o tipo de pessoa que me leva a ver comédias de domingo, filmes da Marvel e da Lego. Mesmo quando os seus papéis não são particularmente cómicos, acho que ele consegue deixar a sua marca dentro daquilo que sabe fazer melhor: ser engraçado, mas de forma muito natural, nada forçada.

Cobie Smulders Comic Con PortugalCobie Smulders: Para mim, o melhor de How I Met Your Mother foi sempre Cobie Smulders e a sua Robin Scherbatsky. Já vi outros trabalhos da atriz, como os filmes The Intervention e Safe Haven, bem como a participação em The L Word, mas nenhum destes corresponde ao registo cómico de HIMYM em que tanto gostei de a ver. Quando anunciaram Friends From College fiquei bastante curiosa. A série apresentava uma premissa que me soava bem e ter Cobie no elenco principal era uma mais valia. Com tantas séries que há por aí acabei por demorar a espreitá-la, mas depois de o ter feito não fiquei a achar que tivesse perdido alguma coisa.

Kate WalshKate Walsh: Foi a ver Grey’s Anatomy e mais tarde Private Practice que dei por mim várias vezes a pensar que alguém tinha de arranjar a Walsh um papel de protagonista numa comédia. Alguém parece ter-me dado ouvidos, porque no ano seguinte ao fim do spin-off da série médica, estreou Bad Judge. O que me faz pensar que temos de ter cuidado com aquilo que desejamos. Sim, eu queria ver Kate numa comédia, mas não numa que fosse um total desperdício do seu talento. O episódio piloto foi um tremendo desapontamento e os poucos episódios que aguentei ver depois desse só cimentaram a má opinião. No entanto, no papel de Addison Montgomery foram inúmeras as vezes que me fez rir, como uma das personagens mais engraçadas tanto da série mãe como da que lhe deu origem. Aliás, alguns dos papéis do início de carreira de Walsh são mesmo ligados à comédia, mas já deu provas da sua versatilidade em 13 Reasons Why. Adoro a sensação de estar a ver uma série ou um filme com alguém cujo trabalho acompanhei com atenção e ver que não havia absolutamente nada de Addison em Olivia, por exemplo. Não são muitos os atores que num projeto não me fazem lembrar de um anterior.

Martha PlimptonMartha Plimpton: Outra das minhas comédias preferidas dos anos mais recentes é Raising Hope, da qual tenho imensas saudades. Gostei bastante do elenco no geral, mas Plimpton era, para mim, a verdadeira estrela da série, sem qualquer desconsideração para Garret Dillahunt, que também acho tremendamente engraçado. No entanto, Martha fez um papel extraordinário com a sua Virginia. A sério, as suas expressões, as pequenas particularidades eram incríveis e não era preciso que estivesse a falar com outras personagens ou a dizer piadas para que me fizesse rir. É daquelas atrizes que só com as caras engraçadas que faz consegue arrancar sorrisos. A passagem de Martha por The Good Wife também é digna de nota!

Matthew PerryMatthew Perry: Ok, Friends é ‘a’ comédia para muitos de nós nascidos na década de 90 e que vale sempre a pena rever, por muitos anos que tenham pensado. Não gosto de todos os personagens da série de igual forma, mas reconheço que todos eles têm a sua graça. Contudo, Chandler Bing é o rei! A sério, o nome do meio do tipo é Muriel! E Bing, embora menos embaraçoso, também é um bom nome. Tal como Martha, também acho que Perry é daqueles atores que representa muito – e bem – com as expressões, mas é claro que ele também é extraordinário a usar a ironia e diferentes tons de voz e as piadas de Chandler estão sempre no ponto. Perry é um ator completo e Friends fala por si. Bem, também ele teve participações em The Good Wife, bem como no spin-off, e fiquei encantada por revê-lo.

Michael J. FoxMichael J. Fox: E eis o terceiro nome desta crónica que ficou conhecido por papéis cómicos, mas que teve um grande papel em The Good Wife. Não grande em tamanho, mas em qualidade. Que papelão! Foi outro rosto que adorei rever e com um grande saudosismo, porque remonta aos meus tempos de infância, em que passava as manhãs de fim de semana a ver episódios seguidos de Family Ties. Oh, agora que penso nisso apercebo-me que aos 12 ou 14 anos já fazia maratonas! Michael é daqueles atores muito carismáticos, muito engraçados e vou sempre recordar-me do seu Alex P. Keaton com um imenso carinho! Vale a pena destacar que Michael sofre da doença de Parkinson, que causa várias limitações, sobretudo ao nível do sistema motor, mas continua a representar.

ted dansonTed Danson: Mais um nome que me transporta até à infância, aos tempos em que via reposições de Cheers com o meu irmão. Desde aí que Danson é um ator de quem gosto e que mais tarde voltei a ver num registo de comédia em Becker, uma série que não é muito conhecida, mas da qual gostei muito. Confesso que considero uma falha ainda não ter visto The Good Place, mas tudo a seu tempo (se visse todas as séries que queria não conseguia trabalhar a tempo inteiro!). Estou curiosa em ver o mais recente trabalho deste ator que ao longo da sua carreira já foi reconhecido com inúmeros prémios pelos seus papéis cómicos.

Wendi McLendon CoveyWendi McLendon-Covey: Ela é o principal rosto da única comédia que acompanho fielmente: The Goldbergs! É uma série irresistível e engraçada com muitas coisas boas, mas Wendi é, sem qualquer espécie de dúvida, a melhor parte. A sua personagem é tão absurda, tão exagerada na demonstração de amor aos filhos… Acho que não houve ninguém que me tenha feito chorar mais a rir do que Beverly conseguiu. Quando ela está no ecrã basicamente é como se estivesse sozinha, porque eclipsa todos os outros. Também já tive oportunidade de a ver em Rules of Engagement e em Modern Family, sendo que nesta última só participou em dois episódios, ainda antes de The Goldbergs ter estreado, e mesmo assim recordo-me perfeitamente da sua participação, que é mesmo uma das minhas preferidas na veterana comédia. Bem, e os vinte segundos em que Wendi aparece no piloto de Schooled, o spin-off de The Goldbergs, mostram aquilo que temos de melhor na série mãe. Acho que, mesmo que tentasse, Wendi não podia evitar ser engraçada.

Woody HarrelsonWoody Harrelson: Este é um dos meus atores preferidos, um daqueles nomes que quando está no elenco de alguma coisa me dá vontade de ver. Apesar de, como Danson, também ele ter dado cartas em Cheers, não foi com esse papel que me conquistou, apesar de também ter gostado do seu Woody Boyd. Confesso que foram alguns dos seus trabalhos mais dramáticos a conquistar-me, com destaque para North Country, No Country For Old Men, Battle in Seattle, The Glass Castle e Three Billboards Outside Ebbing, Missouri, mas da sua carreira as minhas preferências recaem para o papel de Haymitch Abernathy na minha saga preferida, The Hunger Games. Apesar do tom da série, Haymitch é absolutamente fantástico e hilariante, servindo como comic relief na brutal realidade de Panem, mas tem a sua profundidade. Claro, e depois há Zombieland. Na sua carreira, Woody tem um misto de trabalhos em comédias e bons dramas e agrada-me essa versatilidade. Já merecia um Óscar e um Globo de Ouro que pudesse juntar ao Emmy que venceu em 1989!

Quem são aqueles nomes que mais gostariam de ver reunidos numa série de comédia? Partilhem connosco!

Diana Sampaio