Em 1212, Constança (Inês Aguiar) e Sancho (José Condessa) vivem um amor proibido e decidem fugir, mas são apanhados por Clemente (Luís Gaspar), o noivo de Constança e impiedoso senhor das terras. Sancho tenta lutar com Clemente, mas é derrotado e morre. Constança casa com Clemente, sempre desgostosa pela morte de Sancho. Incapaz de esquecer o seu amor, foge e acaba por descobrir uma porta que a leva até ao presente.

Em 2016, Afonso e Cristina vão numa escapadela romântica para um velho castelo em Palmela. Aflito, o cavaleiro liga a Tiago e pede para o resto da patrulha se juntar a eles de forma discreta, de maneira a ajudá-lo. Amélia, Tiago e Irene vão ter com ele. Durante o jantar, Irene convida uma mulher que tinha conhecido para se juntar a eles. Lili (Liliana Santos) diz estar à espera de ver uma peça de teatro sobre a história trágica de Constança e Sancho. Amélia e Tiago afastam-se e o paramédico confessa estar pronto para dar uma nova oportunidade ao amor, mas a estudante desvia o assunto ao ver Constança a preparar-se para saltar das muralhas do castelo.

Os dois correm para ajudar a jovem e rapidamente percebem que ela está no ano errado. Constança diz que o seu marido a irá buscar e está cheia de medo. Clemente aparece no restaurante e, enquanto toda a gente pensa que aquilo não passa de uma encenação, Afonso e Irene percebem imediatamente o que se passa. Tiago surge vestido de monge e afirma estar ali em nome de Deus para castigar Clemente, que foge, assustado, e leva Cristina consigo.

Afonso persegue-os e luta com Clemente, decidindo poupar-lhe a vida, mas assustando Cristina. Mais tarde, no quarto do hotel, a advogada confronta o cavaleiro, que hesita.

No Ministério, Tiago, Irene, Salvador, Ernesto e Amélia tentam decidir o que fazer para ajudar Constança quando chega Maria dos Prazeres, vestida de freira, pois fora visitar as suas amigas do século XIX, dando uma ideia ao grupo. O Ministério decide então enviar a jovem para 1807, para o convento, e esta aceita de bom grado, pois isso significa que fugirá de Clemente.

No fim, Tiago acompanha Amélia à sua porta e tenta novamente perceber como está a relação de ambos. Amélia mostra-lhe a foto em que desapareceu a filha de ambos e diz-lhe que as letras da sua lápide desapareceram. O paramédico afirma que podem lutar por um futuro juntos, mas a estudante confessa-lhe que dormiu com Pacino para espanto de Tiago.

Já esperava por este episódio há imenso tempo! Pudemos finalmente assistir ao lado mais pessoal das personagens, algo que não acontecia desde que Tiago ainda chorava por Mariana! Por muito que goste de assistir às missões da patrulha, adoro ver o lado mais doméstico de Tiago, Amélia e Afonso.

O confronto que esperávamos entre Amélia e Tiago aconteceu finalmente! Depois do paramédico praticamente confessar o seu amor à estudante, queríamos, no mínimo, um beijo, mas pelos vistos nunca vai acontecer! Amélia parece já ter ultrapassado a paixão que sentia por ele e, se não o fez, disfarça bem demais. A reação de Tiago à confissão de Amélia sobre Pacino foi impagável e espero que o próximo episódio retome a cena ou pelo menos faça um flashback, porque quero mesmo saber o que Tiago pensa sobre o assunto. Mas isto só prova o que já suspeitávamos: o futuro não está escrito e é possível alterá-lo.

A evolução da relação de Afonso e Cristina também me está a surpreender. Gosto bastante de os ver juntos, não só porque é hilariante ver o cavaleiro a lidar com os conceitos do século XXI, mas porque são bastante equilibrados juntos. Agora é só esperar para saber se ele contou a verdade ou não e como estão as coisas entre ambos.

Inês Aguiar e José Condessa, apesar da curta participação, estiveram bastante bem, mas foi Luís Gaspar que brilhou, como sempre, no papel de vilão. O ator tem um talento natural para fazer de mau da fita e nunca nos deixa desiludidos.

No geral, foi um episódio bastante satisfatório, apesar de mais parado, mas que ajudou a desenvolver as personagens, criando novos pontos na história para serem trabalhados. Agora só temos de esperar que os produtores nos façam a vontade e possamos ver um beijo entre Amélia e Tiago, porque o nosso coração já não aguenta tanta espera!

Beatriz Pinto