Classificação

9
Interpretação
8.5
Argumento
8.5
Realização
7
Banda Sonor

O episódio desta semana começa com Tiago, sentado no banco, a observar Mariana na sua corrida matinal. Um homem aparece ao seu lado e, enquanto os dois conversam, Mariana impede que uma criança corra para o meio da estrada atrás da bola com que brincava e ela mesma vai buscar o brinquedo. É neste momento que ocorre o acidente que lhe tira a vida. Tiago corre para o lugar e chora ao ver a mulher morta. De repente acorda em 2016, confuso e intrigado.

No ministério, Irene regressa ao trabalho depois de umas semanas de licença para recuperar da morte de Névoa e Salvador reúne todos para lhe apresentar a nova missão: apareceu um tablet no poster do filme “O Pai Tirano”, uma produção de 1941. O objetivo da patrulha é perceber como é que aquele tablet ali chegou e impedir que isso aconteça.

Ao ver as imagens dos vários atores e produtores do filme, Tiago reconhece Ribeirinho (Raimundo Cosme) como sendo o homem do seu sonho.

A equipa chega aos estúdios Tóbies e Tiago é obrigado a assistir António Lopes Ribeiro (Miguel Valle), o realizador, e impressiona Sílvia (Marta Andrino), uma jovem produtora que está a estudar medicina. Apesar do seu interesse, Tiago pouca atenção lhe presta, pois acredita que só amará uma mulher em toda a sua vida, Mariana, como tinha confessado mais cedo a Amélia.

Ao mesmo tempo, Afonso e Amélia vasculham os estúdios e encontram dentro de um cofre um envelope endereçado à estudante. Quando o abrem descobrem uma foto do casamento de Amélia… com Tiago! A patrulha regressa a 2016 e Amélia e Tiago confessam que fingiram ser noivos para que os pais da estudante a deixassem em paz. Tiago não acredita na veracidade da foto, mas Salvador confirma que esta é verdadeira, deixando o paramédico nervoso e Amélia desanimada.

Nessa noite, Tiago volta a sonhar com o dia da morte da Mariana, com Ribeirinho com companhia. No dia seguinte ele acorda sobressaltado, assim como Ribeirinho, em 1940. De alguma forma, os dois estão conectados e, quando Tiago volta ao passado, o ator confessa-lhe que sabe que ele vem do futuro, mas o paramédico desvaloriza o assunto e os dois cruzam-se com Helena Vieira da Silva (Helena Canhoto), a artista responsável pelo cartaz do filme

Ao vasculhar o atelier da artista, Tiago descobre um retrato de Mafalda Torres e rapidamente percebe que a ex-agente está de alguma forma relacionada com o anacronismo que eles têm em mão. Ao mesmo tempo, Amélia tenta descobrir informações conversando com Sílvia e descobre que esta é sua neta! Atordoada, Amélia tenta ignorar a situação, mas não consegue deixar de se preocupar e interessar pela jovem.

Mais tarde, Amélia e Irene seguem Helena, que se iria encontrar com Mafalda para vender mais uns quadros, mas a ex-agente vê-as e foge.

De volta ao presente, Salvador fica furioso com a intervenção de Mafalda Torres e tem a certeza que esta está a vender as obras de Helena no presente para obter lucro. O chefe do Ministério repreende a patrulha por ter deixado Mafalda escapar no passado e exige que estes a capturem. No entanto, Irene ficou no passado e seduziu Leonor Maia.

A patrulha regressa a 1940 e Afonso recebe uma foto da mulher, que depois da sua morte voltou a casar e  é agredida pelo marido, apesar de grávida. Furioso, o cavaleiro esmurra Tiago para libertar a sua raiva, mas logo em seguida o paramédico recebe ele próprio uma foto do momento em que morreu Mariana e corre para fora dos estúdios, seguido por Riberinho e Sílvia. Tiago deixa que Ribeirinho o console e confessa que perdeu a amada para sempre e que nunca a irá voltar a ver. Sílvia ouve tudo e desabafa com Amélia, que fica feliz ao perceber que Sílvia teve uma boa vida familiar e que se irá dedicar a terminar o curso de medicina.

A patrulha volta ao Ministério e Tiago sai furioso com todos os segredos que o Ministério tem. O paramédico acusa o ministério de ter a vida deles toda registada e de estarem a ser seguidos, pois todas as fotos têm o carimbo do ministério. Amélia, Afonso e Tiago reúnem-se em casa do paramédico e desabafam sobre as frustrações que têm com as regras e secretismos do ministério. Nesse momento, a estudante recebe uma mensagem de Mafalda a marcar um encontro.

No dia seguinte, as duas encontram-se e Amélia acusa Mafalda de enviar as fotos. Esta nega e diz que Amélia está muito errada sobre as verdadeiras intenções do Ministério e que deveria estar mais atenta ao que se passa. Tiago e Afonso aparecem e prendem Mafalda. Apesar de esta se afirmar inocente quanto às fotos, a ex-agente confessa que vende arte que retira do passado no futuro para ganhar dinheiro e que foi o seu tablet que Helena viu por acidente.

No presente, a patrulha reúne-se com Salvador, Irene e Ernesto e Tiago defende a inocência de Mafalda no que se refere às fotos e que existe outra pessoa a tentar provocá-los. Irene acusa a ex-agente de ser a verdadeira culpada e o paramédico rapidamente se apercebe que Irene sabe mais que todos os outros: que Tiago também recebeu uma foto. Quando confrontada, a agente confessa que é ela que anda a enviar as fotos e que a culpa é de Salvador e de tudo o que aconteceu com Névoa. Em choque, Ernesto prende Irene.

A patrulha reúne-se nos corredores do Ministério e troca impressões sobre o que aconteceu e a culpa de Irene. Tiago e Amélia decidem voltar a 1940 para se despedirem de Ribeirinho e de Sílvia, respetivamente. Afonso decide ir a 1578, onde ameaça o atual marido de Elena para este parar de lhe bater, mas acaba por encontrar Elena, que acredita que ele é um espírito e que será o seu anjo da guarda.

Em 1940, Amélia despede-se de Sílvia e recebe de Helena um envelope, cujo interior a deixa em choque. A estudante corre atrás de Tiago, que, inspirado por um discurso de Ribeirinho, decide salvar Mariana e, ao invés de o impedir, vai com ele até 2013 para impedir a morte da jovem. Infelizmente os dois não chegam a tempo e Mariana morre.

No Ministério, Salvador e Ernesto conversam e decidem o futuro de Irene e Mafalda. Ernesto quer ser mais radical, mas o Ministro do Tempo intercede por Irene, pois não quer cometer o mesmo erro que cometeu com Névoa. É então que o chefe do Ministério confessa que foi ele quem ajudou Névoa a escapar pois sentia que lhe devia uma nova oportunidade em nome da amizade dos dois e que foi por isso que Névoa o deixou vivo. Ernesto e Salvador decidem levar as coisas por caminhos oficiais e deixar Mafalda arcar com as culpas de tudo.

Em casa de Tiago, Amélia e Afonso falam sobre como rever a morte de Mariana afetou o paramédico e a estudante retira-se para a sala de estar. Sozinho com um Tiago aparentemente adormecido, Afonso agradece-lhe todo o apoio e amizade e confessa-lhe que partilha a sua dor em perder alguém amado, mesmo que seja de forma diferente.

O episódio termina com Amélia, sentada da sala de Tiago, a voltar a ver a mensagem que recebeu de Helena: uma foto dela, de Tiago e da filha de ambos em 1896.

Tenho a dizer que fiquei sem palavras. Queria poder comentar o episódio à medida que o ia descrevendo, mas não me foi possível. Este desenvolvimento foi deveras surpreendente em todos os sentidos.

Em primeiro lugar, as minhas apostas sobre um futuro envolvimento entre Amélia e Tiago estavam certas. Agora a questão é: se a estudante tem sentimentos por ele, porque é que quis impedir a morte de Mariana e dessa forma alterar o futuro dos dois? A única resposta que tenho é: Amélia acredita que Tiago nunca será capaz de a amar como amou Mariana. Mas como já foi dito, por vezes aquele amor grande que vivemos pode não ser o grande amor da nossa vida. Mas neste momento Amélia tem nas mãos as provas de que o casamento entre ela e Tiago irá acontecer e que ambos terão uma filha. E não só! Ambos estão com as datas da morte estabelecida: 1896! Será que é verdade? Será que perderão a vida numa missão? Ou será que irão fingir a própria morte? Ah, tantas perguntas!

Em segundo lugar, esta mudança de Irene foi uma verdadeira reviravolta que, apesar de não me ter surpreendido depois de bem analisado o episódio, abriu muitas portas. Poderão ser Tiago, Amélia e Afonso os próximos a revoltarem-se contra o Ministério? Terá Salvador uma nova revolta em mãos?

Para terminar, quem é o verdadeiro vilão de toda esta história? Irene? Mafalda? Salvador? Ou o próprio tempo? Uma coisa é certa, Tiago está decidido a salvar Mariana e a continuar a quebrar as regras do Ministério e toda a patrulha está do seu lado. Se uns têm direito a segundas oportunidades, porque não terão os outros?

Numa pequena nota, gostaria de deixar os meus parabéns a  Raimundo Cosme por uma fantástica interpretação de uma personagem mítica da cultura cinematográfica portuguesa! E a Mariana Monteiro, que está absolutamente brilhante no papel de Amélia!

Beatriz Pinto