Classificação

8.4
Interpretação
9
Argumento
8.5
Realização
8.8
Banda Sonora

ORA BEM!

Começo esta review deveras “exaltada” porque Memories of the Alhambra foi dos pilotos mais esquisitos (pela positiva) que já vi. Quando pedi aos chefes do Séries da TV para escrever a review do episódio piloto da nova série coreana da Netflix não foi tanto pela história (que li só assim por alto) mas por ser passada maioritariamente na Andaluzia, que ocupa um lugar muito especial no meu coração.

Mas pronto. Relativamente à história, Memories of the Alhambra é diferente e apelativa. Mistura o romantismo das ruas de Granada com o mundo dos jogos virtuais. Uma série que mistura sci-fi, romance, mistério, fantasia e uma pitada de comédia e o resultado é deveras espetacular.

Tudo começa quando o jovem Jung Se-joo faz uma chamada misteriosa de uma cabine telefónica em Barcelona, combinando um encontro com outra pessoa do outro lado da linha em Granada, no Hostel Bonita. Vemos Jung fugir de alguém no caminho para a estação de comboios e de desaparecer dentro do comboio antes da chegada a Granada. Quem não adora um bom mistério? Especialmente quando aquela pseudo tempestade esquisita eclode e ficamos sem perceber nada. Ou melhor, eu fiquei a pensar… Matrix?

Apesar de Se-joo ser o personagem que dá início a esta trama toda, é a sua irmã Jung Hee-joo, dona do Hostel, e Yoo Jin-woo, o empresário que Se-joo contacta logo no início do episódio parecem ser o centro da trama toda. Pessoalmente, adorei-a. Despassarada e sensível e com jeito zero para cuidar de hotéis. Conhecemos só um bocadinho dela e não percebemos a importância que ela irá ter na série até aos momentos finais, mas vai ser interessante ver os próximos passos de Jin-woo para conquistar a bela coreana e conseguir o jogo. Já Jin-woo parece ser um CEO implacável e ambicioso. Não gostei muito da maneira como tratou Jung no final (apesar de termos de admitir que aquele Hostel era uma miséria) e deixou a pobre rapariga a chorar. No entanto, o homem passou a noite pelas ruas de Granada a experimentar o jogo (dei umas boas gargalhadas com toda a cena, com a sua frustração e com as reações dos seus empregados em Seul).

A premissa da série é impecável. Adorei o conceito, adorei o facto de terem investido nos efeitos especiais e da parte cómica da coisa. Adorei o facto de ser uma lufada de ar fresco na Netflix. Começam a cansar as séries americanas. Muitas delas já não parecem ter muito para oferecer mas enquanto o peixe render, renova-se. Para vos ser sincera, ando a apostar cada vez mais em séries não americanas. O que é de mais também enjoa, não é verdade?

Sou-vos sincera. Nunca antes tinha visto uma série asiática. Sou fã assumida de filmes de Bollywood e o meu conhecimento fica-se por aí. No entanto, gostei do estilo da série, dos personagens e da história. A Netflix tem para já disponíveis quatro episódios (no total serão 16) e planeio continuar a ver a série! Estou muito, muito, curiosa com o desenrolar destes acontecimentos. E vocês ficam desse lado?

Maria Sofia Santos