Classificação

7
Interpretação
7.6
Argumento
7.8
Realização
7
Banda Sonora

Contém Spoilers!

Foi mais um bom episódio de Legends of Tomorrow. Esta semana a equipa tem dois elementos a mais, primeiro é o regresso de Nate, mas temporário, infelizmente. O segundo é o pai de Nate, que, considerando que as lendas custam demasiado dinheiro, quer vê-las em ação. Desta vez foi um ser mitológico que escapou, o conhecido minotauro das lendas gregas, e que assombra a inspiração de Salvador Dalí.

O começo foi um pouco fraco, no sentido em que uma cena que deveria ter alguma sensualidade entre Sara e Ava foi apenas cringe. Mas rapidamente se tornou bom. Começando a analisar o plot de Ray e de Nora… Aqui a Mona foi uma inserção interessante. Sendo um pouco irritante ao começo, levou a que Ava, Nora e ela própria ficassem presas juntas, o que acabou por ligá-las a todas e tornar Ava um pouco mais empática com os restantes prisioneiros, incluindo o facto de permitir a troca de correspondência entre Ray e Nora. Estrou curioso para ver onde vai dar. Continuo a achar que, mais cedo ou mais tarde, irão precisar que Nora use os seus poderes para o bem.

O tema do minotauro foi focado principalmente em Nate e na relação que tem com o pai, uma temática que já tem sido explorada esta temporada. Foi repleta de clichés, mas não deixou por isso de ser bom ver Nate a ser reconhecido pelo pai. Apenas a presença de Hemingway foi um peso morto para o episódio, não conseguindo ser nem interessante nem engraçado. E eu gosto de Hemingway, portanto foi um pequeno desgosto vê-lo aqui. Constantine assumiu uma posição mais na sombra neste episódio, exceto quando apareceu sem qualquer roupa em frente ao pai de Nate.

Não foi um episódio para ficar na memória, mas foram 43 minutos muito bem passados e agradáveis, o que no fundo acaba por ser o objetivo da maioria dos episódios das séries “tipo policial”. Quanto ao enredo da história principal, nada se avançou nesta semana, mas estando quase a chegar à mid season finale, creio que iremos ter um episódio muito focado nisso dentro de pouco tempo. A última coisa que tenho a apontar é que acho que podiam ter explorado um pouco mais a história do minotauro, tendo ficado para segundo plano face a Hemingway, assim como ao próprio Salvador Dalí. Mas como por cada coisa negativa devemos apontar uma positiva, acho que o minotauro ficou muito bem feito e as cenas de luta com ele estavam bem coreografadas.

O que acharam?

Raul Araújo