Classificação

7.5
Interpretação
7.5
Argumento
7
Realização
6
Banda Sonora

(Contém spoilers)

A clássica história da família que pretende ser perfeita, que faz de tudo para manter o bom nome, a família de La Mora, detentora de um vasto império de comercialização de flores vive ostentando riqueza e as aparências. Os de La Mora, família de classe alta e totalmente desregulada, escondem os mais diversos e obscuros segredos.

Este primeiro episódio é-nos relatado por uma mulher que nos vimos a aperceber tratar-se da amante do patriarca da família, Ernesto. No dia do aniversário de Ernesto, a esposa Virgínia espera dar uma festa estrondosa, a festa perfeita, repleta de convidados, com tudo a que têm direito, até a uma foto de família para a capa da Vanity Fair. Quem trata de tudo para que esteja dentro dos parâmetros da perfeição é a filha mais velha, Paulina, que, remendando aqui e ali, tenta que tudo esteja dentro dos conformes.

Mas os planos da amante de Ernesto eram outros, preparou-lhe a maior surpresa, resolve suicidar-se dentro da florista. O corpo é descoberto pela filha mais nova da família e pela empregada, e a partir daí a história da família perfeita começa a desmoronar-se. Paulina reconhece de imediato o cadáver como sendo Roberta, a amante do pai há mais de vinte anos, facto que deixa todos boquiabertos, não só pelo descoberta, mas porque Paulina tinha conhecimento do caso. Com o desenrolar da trama vamo-nos apercebendo de outros factos que deitam por terra a noção de família exemplar. O filho mais novo, que de início vemos envolvido com a namorada e pensamos tratar-se de um playboy, vive também uma intensa história de amor com o assessor financeiro da família; a outra filha, Elena, vivendo atualmente em Nova Iorque, aparece de surpresa na festa e consigo traz uma notícia estrondosa que espera dar à família, mas com todo o cuidado: está noiva de um afro-americano, facto que sabe que não alegrará a alguns membros da família.

Após a descoberta do cadáver, tentam de tudo para continuar a festa e ocultar o facto da mãe, pilar da família, Virgínia, mas como é de prever tal não é possível e a mãe acaba por aperceber-se de tudo. Com o fim da festa, a polícia trata das diligências exigidas e Ernesto é interrogado pela polícia. Enquanto isso vemos dois jovens que, com uma carta de despedida de Roberta, a falecida, aparecem em casa dos de La Mora e vimos a saber que são filhos de Ernesto e da amante. A escolha da foto para ilustrar esta review não foi escolhida ao acaso, creio que retrata e resume bem o enredo deste primeiro episódio e o mote para a restante temporada, que conta com dez episódios, todos com nomes de flores, sendo este primeiro o Narciso, símbolo da mentira.

Uma comédia negra de Manolo Caro, que caricatura, e bem, as vidas de tantas famílias que querem ser o que não são. A ideia da serie está muito boa, confesso que esperava outra coisa, que fosse mais de comédia e não tanto comédia negra, mas mesmo assim gostei muito. Para quem aprecia o género, decerto irá ficar satisfeito com La Casa de las Flores.

Ana Galego Santos