Classificação

9
Interpretação
8.5
Argumento
8.7
Realização
7.5
Banda Sonora

[Contém spoilers]

National Treasure: Kiri é a nova minissérie do Channel 4. A história conta como protagonista Miriam Grayson, interpretada por Sarah Lancashire, que conta no currículo com minisséries como Oliver Twist, Wuthering Heights e participações em Dr. WhoSkins. Miriam é uma assistente social um pouco fora do comum e a sua vida sofre um abalo quando descobre que uma das crianças a seu cuidado desaparece e posteriormente é encontrada morta pela polícia.

A menina, cujo nome é o título da série, estava prestes a ser adotada pelo casal com o qual passou os últimos tempos e Miriam vai buscá-la a casa para fazer uma visita, a primeira sem ser supervisionada, ao avô biológico. E a tragédia acontece.

Pessoalmente, achei Sarah Lancashire fantástica no papel. A sua Miriam é uma mulher um tanto excêntrica, mas sofrida, já tendo perdido um filho vítima de cancro quando tinha apenas 13 anos. No entanto, a atriz consegue balançar a melancolia e comédia da personagem na perfeição.

À primeira vista, o caso de Kiri parece muito óbvio. O pai criminoso Nathaniel aproveitou-se da visita sem supervisão para raptar a menina e podemos assumir que a matou. Contudo, o caso não parece ser assim tão simples e o pai parece um culpado demasiado óbvio, um criminoso com cadastro. Todos sabemos que se fosse assim tão fácil, isto seria um telefilme em vez de uma minissérie. Ainda há aqui muito que contar. Para começar, os pais adotivos de Kiri, Alice e Jim Warner. Que espécie de mãe praticamente confessa que gosta mais de um filho do que de outro? Como foi capaz de dizer que gosta mais de Kiri do que de Simon? É uma alegria que sinta esse amor por Kiri, mas nunca se deve favorecer um filho em relação a outro. É errado e anti-natural. Não sabemos muito sobre eles e creio que isso vai ser desvendado nos próximos episódios, porque creio que há muito para contar. Senti uma vibe estranha quando Miriam foi buscar a adorável Kiri a casa logo no início do episódio. Há ali história!

Vi Kiri sem pensar muito se seria uma boa série ou não, mas fiquei muito agradada com sua qualidade, do argumento e das suas performances. Quero muito saber o que aconteceu à pequena Kiri e ver Miriam de regresso ao seu trabalho, no qual parece ser mesmo boa. Despassarada, mas boa.

Maria Sofia Santos