Classificação

8.5
Interpretação
8.5
Argumento
9
Realização
8
Banda Sonora

Samurais e zombies? Sim, é possível e genuinamente bom!

Estreou na última sexta-feira, dia 25, na plataforma de streaming Netflix, a serie Kingdom, baseada na webcomic The Kingdom of the Gods, de Kim Eun-he, e desenhada por Yang Kyung-il. A trama tem por base o período da Dinastia de Joseon na Coreia, algures por volta do século XV.

Lee Chang, o príncipe herdeiro, exige ver o seu pai, o rei, quando correm rumores de que este terá perecido. O que não deixa de ser inteiramente verdade, já que o rei foi transformado em zombie. O príncipe é impedido pela rainha, esposa do seu pai, que está à espera de um filho. Apoiados pela rainha, o clã Haewon Cho mantém o povo na ignorância ao dizer-lhes que o rei terá contraído apenas varíola. O seu objetivo é não deixar que o príncipe tome conta do poder, acusado de traição, e esperar pelo nascimento do bebé para que seja este a herdar o trono. Numa luta incessante pelo poder, o príncipe quer ver o assunto resolvido de uma vez por todas. Assim parte numa viagem perigosa à descoberta do médico que terá avaliado o estado, verdadeiro, do rei.

Entretanto, a clínica para onde o príncipe se dirige, juntamente com o seu fiel escudeiro, sofre um revés quando um dos doentes internados decide fazer uma sopa a partir de um humano morto, o assistente do médico real que havia sido mordido ou teria contraído uma doença que o transformou em zombie. Achei que esta cena de se fazer uma sopa a partir de alguém que estava morto e era, supostamente, um zombie um bocado exagerada, mas o que seria das produções orientais sem um pouco de dramatismo? A passar uma fome extrema, toda a gente internada na clínica come a tal sopa e após uma indigestão surgem transformados em zombies. De imediato começam a atacar todos na clínica, numa fúria desmedida.

Tenho um absoluto fascínio pela cultura oriental e quando soube da existência desta série fiquei extremamente curiosa em  vê-la; reúne temas tão fascinantes como samurais, a época medieval oriental e zombies! Podemos pensar que vai sair daqui uma grande salganhada, mas não é verdade, está bastante bem feita. É tão boa que não consegui ficar-me apenas por um episódio e vi logo três de seguida, coisa que não gosto de fazer, pelo menos até escrever a review para não me deixar influenciar por aquilo que já vi.

Tem um cenário absolutamente fantástico, de cortar a respiração. Bem se sabe que cada episódio desta série terá custado à volta de 2 milhões de dólares. E o guarda-roupa e os acessórios? Espetaculares, não deixaram nada ao acaso! A sua produção esteve envolta em polémica com acidentes a acontecerem durante as gravações e depois as produtoras coreanas a fecharam as suas portas à serie, mas foi a Netflix que as abriu. Com uma ótima aceitação da parte do público, Kingdom foi já renovada para uma 2.ª temporada que irá começar a ser gravada já no próximo mês de fevereiro. Conta ainda com a participação de Doona Bae, que entrou na série Sense 8.

Para quem gosta de series de zombies, está aqui uma ótima alternativa ao que usualmente estamos habituados a ver. Ao contrário dos outros filmes e séries com esta temática, estes zombies estão de facto mortos durante o dia, mas com o cair da noite transformam-se em verdadeiros animais sedentos de carne humana.

Vejam, mas vejam mesmo, não se vão arrepender!

Ana Galego Santos