Classificação

8.4
Interpretação
8.9
Argumento
8.6
Realização
9
Banda Sonora

One more down, two to go. Com apenas dois episódios por exibir, a 5.ª temporada de How To Get Away With Murder mostra mais um dos seus trunfos muito bem guardados e revela que tem estado a fazer poker face este tempo todo, assegurando a máxima qualidade da narrativa deste ano.

Where Are Your Parents? foi aquilo a que se pode chamar de ‘calma antes da tempestade’. Um episódio festivo, fora de época, é certo, mas o Natal é quando uma pessoa quiser, verdade? E este episódio deu-nos uma grande prenda, ou melhor, um grande plot twist super imprevisível.

Todo o episódio foi construído de forma a levar-nos a pensar que seria mais um daqueles do estilo “encher chouriços”, acabando por culminar num final de deixar de boca aberta. O ambiente natalício fez-nos descontrair de certa forma, o que nos levou a baixar a guarda e, quando menos esperávamos, atacou-nos com a novidade de que foi Emmett quem mandou matar Nate Sr.. Ou terá sido realmente?

Muitas têm sido as teorias atiradas para cima da mesa desde meados da temporada e, até agora, pensava-se que a de que a Governadora tinha mandado matar o pai de Nate como forma de retaliação por Annalise ter ganho o caso no Supremo Tribunal estava certa. Mas, vá lá, é HTGAWM! Nunca poderia ser assim tão simples. E não é! Por um lado, pode muito bem ter sido isto o que realmente aconteceu e a Governadora dizer a Annalise que é Emmett o culpado ser apenas uma distração. Contudo, se de facto temos de apontar o dedo a Emmett, então uma vez mais tiro o meu chapéu às pessoas que engendram todas estas storylines. Fazem um trabalho excelente!

Confesso que não faço a mais pequena ideia como pode Emmett estar envolvido em tudo isto. Que possível e imaginável razão teria ele para mandar matar Nate Sr.? Terá de haver algum tipo de ligação da qual ainda não estamos cientes e é com uma expectativa incontrolável que espero pelos dois últimos episódios!

Retirando o ponto alto do episódio, devo dizer que acho que Bonnie mentiu a Frank e o teste de gravidez deu positivo. Se estiver mesmo grávida será mais uma fonte de sofrimento para esta mulher que ainda não conheceu outra coisa e Frank ver-se-á mais uma vez no papel de cuidador do filho de outro homem. I guess some things are destined.

Quanto às restantes personagens gostei de rever a mãe de Annalise. Creio que as suas palavras terão alguma influência naquilo que Nate poderá fazer caso as coisas deem para o torto. Os Keating 4 + Oliver + Gabriel foram bastante desinteressantes, para ser sincera. Uma vez que não estiveram diretamente envolvidos no assassinato de Miller, as suas participações nesta temporada resumiram-se um pouco a aparições secundárias. Ainda assim, Laurel poderá ter algum destaque caso chegue a dizer alguma coisa à agente do FBI. (Laurel era das minhas preferidas, mas agora está a tornar-se insuportável!).

Falando no FBI, a outra revelação importante do episódio prendeu-se com a demonstração de lealdade de Teagan. Devo dizer que não estava nada à espera! Na minha cabeça ela ia lixar completamente Annalise, mas parece que a admiração (e algo mais, parece-me!) que tem por AK levaram-na a interferir e garantir que o FBI não a apanharia, mesmo não sabendo se ela realmente fez alguma coisa ou não.

Volto a dizer: esta é, provavelmente, a temporada mais forte desde a primeira e tem tudo para acabar em grande. Os trunfos finais estão preparados para serem jogados e a escapatória a mais um homicídio quase quase a acontecer. No entanto, será que se vão safar mais uma vez ou é desta que são apanhados e pagam pelo que fizeram?

Beatriz Caetano