04×05 – About a Boy

A revelação de que Haqqani está vivo foi o marco para uma possível evolução agradável na narrativa. Mas a narrativa de Carrie e Aayan continua sem dar grandes frutos, mas vamos lá falar do que se passou nas várias frentes.

Contém SPOILERS!

Depois de Carrie e Aayan passarem a noite juntos, ela vai entregar as provas que tem, de que Haqqani está vivo, a Saul para este levar para os EUA. Conversam um pouco dentro do carro e cada um segue o seu caminho, com a esperança de só se voltarem a ver novamente em DC.

De volta à casa, Carrie entrevista Aayan a fim de conseguir o passo mais difícil na sua missão de recrutamento, fazer com que o rapaz admita que o seu tio está vivo. Como seria de esperar ele não cedeu assim tão facilmente.

Para conseguir uma maior empatia entre os dois, Carrie conta-lhe que já é mãe (Aayan já tinha reparado pela sua cicatriz) e parte do que aconteceu a Brody, sem nunca mencionar o seu nome. Mais uma noite de sexo e o seu primeiro objetivo está cumprido. Aayan admite que o seu tio está vivo e ficamos ainda a saber que ele se encontra doente, daí os remédios que ele tanto queria. Consequências do ataque.

Quinn e Fara estão numa missão de vigilância, a fim de tentar obter mais alguma pista que os leve até ao seu alvo. Dá para perceber que Fara não está muito à vontade com o trabalho de campo, mas Quinn lá a tenta motivar dizendo que ela é boa nisso.

Haqqani não aparece por aqueles lados, mas os dois estão de olho num dos homens que fora visto com ele. Ele sai misteriosamente a meio da noite, mas não sem a companhia dos nossos espiões. Para desespero de Quinn, Carrie não está contactável. Sem conseguir colocar um localizador no carro e sem acesso aos drones, o homem acaba por sair do seu alcance.

A misteriosa mulher que apareceu no episódio anterior chama-se Ball Buster e faz, sem grande surpresa, parte do ISI. Vemos que o ISI tem algum plano preparado que envolve Saul e eles ficam com algumas dúvidas pelo facto de ele ter antecipado o seu regresso aos EUA.

Já no aeroporto Saul dá conta de que um dos alvos de Carrie, Farhad Gazi, vai embarcar para Joanesburgo. A primeira pessoa que Saul tenta contactar é Carrie, mas como esta não se encontra disponível, ele liga para Quinn que se encarrega de avisar Carrie.

Saul continua a sua vigilância, mas algo parece estar mal. Gazi vai à casa de banho, mas a sua demora levanta alguma inquietação em Saul. Na tentativa de perceber o que se passa, ele entra também na casa de banho. Ao dar de caras com Gazi prontamente Saul percebe que caiu numa armadilha e é levado. Mais tarde vemos que ele está na mala de um dos carros que se dirige para as montanhas.

O marido da embaixadora continua sem saber muito bem como lidar com o que lhe está a acontecer. No bar de um hotel ele quase conta a Redmond tudo o que se passa com ele, mas a aparição repentina de Buster desencoraja-o.

O professor Boyd tem uma cópia da chave do apartamento de Carrie na embaixada, e faz uma revista noturna, sem se saber muito bem o que procura. Pelos vistos a teia que o ISI está a montar é maior do que eu imaginava. Por um lado eles têm Saul, que é um grande trunfo para usar contra Carrie, mas Boyd parece estar encarregue de algum plano que envolve a chefe da estação.

Tirando a narrativa de Carrie e Aayan tivemos alguns momentos de tensão e reviravoltas inesperadas. Ainda sem ser nada de especial, “Homeland” está a começara evoluir na sua história e espero que continue no bom caminho. E vocês o que estão a achar da temporada até agora?

Nota: 7.7/10

Carlos Oliveira