Classificação

7.6
Interpretação
7.4
Argumento
7.5
Realização
7.5
Banda Sonora

Atenção: esta review contém spoilers!

Com o final da sua 15.ª temporada, agora a menos de uma semana de distância, Grey’s Anatomy trouxe-nos o seu 24.º episódio, intitulado Drawn to the Blood.

Neste episódio, Alex tenta desesperadamente salvar o seu paciente, Gus, enquanto este aguarda a chegada do seu dador de sangue, que sofre de um caso severo de agorafobia. Entretanto, Jo revela a Meredith a razão por detrás do seu estado de espírito, enquanto Catherine e Bailey se reúnem para chegar ao fundo de um problema de seguros. Por fim, Maggie e Jackson vão acampar.

Comecemos, então, por falar um pouco sobre a situação em que Meredith se meteu – ou melhor, a situação em que Meredith inadvertidamente colocou DeLuca. No episódio anterior, a nossa Dr.ª Grey tomou a decisão de cometer fraude de seguros para ajudar uma paciente sua. Ora, como esperado, essa decisão veio rapidamente a provar-se problemática.

Quando Catherine e Bailey são questionadas pelos inspetores do seguro, DeLuca é chamado a prestar o seu testemunho (e pergunto-me: porque é que Meredith, a pessoa cujo nome está nos papéis do seguro, não foi a primeira a ser chamada para uma entrevista?). Sob pressão, o médico toma a decisão que acha mais acertada – e uma que eu acho ridícula. Se não quiserem ler spoilers sobre a situação, por favor saltem os próximos dois parágrafos.

De modo a não colocar Meredith e a sua família em risco, Andrew escolhe assumir a culpa pelo sucedido. Coloca-se na linha de fogo para proteger a sua amada; um ato que tem tanto de nobre como de estúpido. Se é verdade que Meredith tem tudo a perder, também isso se aplica a DeLuca, que pode chegar mesmo a ser preso e a perder a sua licença por causa do incidente.

Há muito que os médicos de Seattle andam isentos de qualquer tipo de punição pelos seus atos e, quando finalmente são forçados a responder pelos seus mesmos, o castigo é aplicado à pessoa errada. Ugh! Com apenas um episódio restante nesta temporada, sinto curiosidade em ver qual o final desta história: irá Meredith contar a verdade, ou deixará que Andrew pague pelos seus erros? Pessoalmente, não sei o que esperar.

Este episódio representa também um marco importante na história de Jo que, com muita insistência por parte de Meredith, finalmente foi capaz de partilhar aquilo que tanto a tem incomodado com a médica. Não é segredo que sinto um carinho especial por esta personagem, e que a sua angústia me tem vindo a causar um certo nível de desespero, no decorrer destes últimos episódios. Temia que Jo tivesse de ser forçada a afastar-se das suas funções, mas o tough love por parte de Meredith surtiu o efeito e, ao que tudo indica, a médica irá procurar ajuda profissional para aprender a lidar com a sua situação.

Por falar em ajuda psicológica, para quem não era grande fã da ideia, Owen virou um psicólogo autêntico neste episódio. Apesar de não ter sentido grande empatia para com a dadora de sangue de Gus (honestamente, nunca me identifiquei tanto com Levi como neste episódio), gostei das cenas entre esta personagem e os nossos médicos por nos mostrar que Owen realmente está a fazer algum progresso e a aplicar aquilo que aprendeu para ajudar os outros. Ainda não está perdoado pelas temporadas anteriores, mas é um bom começo.

As ações de Owen não têm passado despercebidas, e isto traz-nos a Teddy que, neste episódio, resolveu que afinal sempre gosta de Owen. Como tenho vindo a mencionar já há umas semanas, não me agrada nada a ideia de Teddy voltar para Owen, não só por me ter afeiçoado à sua relação com Koracick (que, sei agora, merce melhor do que andar preso nos dramas destes os dois), mas por achar que Owen ainda não está pronto para uma relação. De tudo aquilo que aconteceu neste episódio, esta é facilmente a maior desilusão.

No geral, foi um episódio razoável de Grey’s que serviu para lançar as bases para uma season finale decente. Com o episódio a apenas alguns dias de distância, aguardo para ver que escolhas serão feitas e de que forma afetarão a próxima temporada.

Inês Salvado