Classificação

7.5
Interpretação
7.2
Argumento
7.4
Realização
7.8
Banda Sonora

Atenção: esta review contém spoilers!

Esta semana, Grey’s Anatomy trouxe-nos Blowin’ In The Wind, que assinala o final da primeira metade desta 15.ª temporada.

Neste episódio, Seattle é atingida por uma enorme tempestade e o Grey + Sloan Memorial é inundado por pacientes. Por causa da tempestade, Alex e Jo estão presos em casa e resolvem aproveitar o acontecimento para fazer uma segunda lua de mel. Entretanto, Meredith confronta Richard.

Primeiramente, gostaria de falar um pouco sobre Richard. Como todos sabemos, no episódio anterior o nosso médico passou por um mau bocado enquanto tentava lidar com os acontecimentos recentes. Este episódio começa quando Meredith o vai buscar à esquadra, após Webber ter sido detido por destruir um bar. Sabendo do grave problema de saúde de Catherine, Meredith tenta aconselhar Richard a endireitar a sua vida antes que seja tarde demais (sem nunca revelar a Richard o segredo de Catherine). Por um lado, agrada-me que Meredith não tenha contado o que se passa a Richard. Honestamente, não é o seu segredo para contar. No entanto, o facto de ter que esperar até à série voltar para que Richard seja informado da doença de Catherine dá-me alguma ansiedade.

Agrada-me também a maneira como Miranda lidou com a situação de Richard e, mais ainda, a maneira como Richard lidou com a situação de Miranda. Ao longo da última temporada temos seguido a nossa médica à medida que esta tenta lidar com a sua ansiedade e o trabalho de risco de Ben. Bailey tentou afastar-se de tudo aquilo que lhe traz ansiedade mas, como seria de esperar, sem sucesso. Parece que, por fim, com a ajuda de Richard, a nossa médica percebeu que não pode fugir dos seus problemas e que afastar-se de Ben não é a solução. Espero que Miranda procure a ajuda de que precisa, na segunda metade desta temporada.

Falemos agora sobre Meredith. Como sabem (e como tenho vindo a repetir inúmeras vezes ao longo dos últimos meses), não sou fã desta plotline sobre os seus possíveis interesses amorosos. Não sou. Não tenho qualquer interesse nela e acredito que só demonstra que Grey’s já não sabe o que fazer com a sua personagem principal. Mas, como estou farta de (perdoem-me a expressão) “bater no ceguinho” no que toca a este assunto, vou parar de o criticar. Simplesmente tenho a dizer que, entre Link e DeLuca, prefiro DeLuca.

Seguindo agora para Teddy, Owen e Amelia, até que enfim a verdade veio ao de cima! Já estava a ficar agoniada ao ver esta narrativa a arrastar-se. Era apenas uma questão de tempo até isto acontecer, mas Grey’s adiou esta revelação durante demasiado tempo (e tudo para deixar a narrativa “pendurada” até à segunda metade da temporada). Pergunto-me como Amelia irá reagir à novidade, especialmente depois da decisão que tomou, neste episódio.

Por fim, resta-me dizer que gostei da forma como Maggie foi capaz de colocar os seus problemas com Jackson de lado para o apoiar neste momento difícil. Continuo a achar que se chatearam por razões parvas e este episódio não compensa por isso, mas ainda assim foi bom o suficiente.

Inês Salvado