Classificação

7.7
Interpretação
7.1
Argumento
7.3
Realização
7.5
Banda Sonora

Atenção: esta review contém spoilers!

Mais uma semana que passou e, com ela, um novo episódio de Grey’s Anatomy. Desta vez, a série trouxe-nos Flowers Grow Out Of My Grave (que, apesar de não ser um episódio assumidamente temático, pode ser considerado um episódio de Halloween).

Segundo a sinopse deste episódio, Meredith tem uma paciente cuja família está a celebrar o Dia dos Mortos, o que faz com que os médicos se lembrem daqueles que já perderam. Richard partilha uma notícia inesperada com Meredith sobre o seu pai. Entretanto, Teddy tenta contar a Owen que está grávida, mas acaba por surgir um obstáculo. Por fim, Jo encoraja Link a ir atrás de Meredith.

Comecemos por falar um pouco sobre Meredith, uma vez que grande parte deste episódio foi sobre ela. Como sabem, Richard revela a Meredith que o seu pai tem uma forma de cancro. Esta nova informação leva a um debate interno: será que a nossa Dr.ª Grey se deve despedir do seu pai, ou continuar com a sua vida como se nada se tivesse passado? É uma boa questão, e uma que não é respondida neste episódio. Pessoalmente, não tenho uma posição sobre este assunto e tenho curiosidade em saber qual a decisão de Meredith.

Falando ainda sobre Meredith, houve uma ligeira aproximação entre a médica e Link, neste episódio. Apesar de gostar da atitude que Link tem vindo a demonstrar, em particular neste último episódio, não sou de todo a maior fã desta (possível) relação, por razões que já mencionei em artigos anteriores. Não é nada de pessoal, mas estou um bocado cansada desta narrativa.

No que toca à storyline de Amelia, Owen e Teddy, tenho a dizer que fiquei ligeiramente desiludida por não ter havido nenhum progresso. Estava à espera que Teddy finalmente contasse a verdade a Owen e, durante alguns momentos, acreditei verdadeiramente que isso iria acontecer… Mas não aconteceu. Com isto, não quero dizer que fiquei desiludida com as cenas entre estes os três – antes pelo contrário. Cada vez mais aprecio o desenvolvimento da relação entre Amelia e Owen, e admiro Teddy por não querer estragar isso. Ainda assim, mais cedo ou mais tarde a verdade terá de vir ao de cima.

Preciso, também, de falar um pouco sobre Bailey. Como temos visto nos últimos episódios, as coisas entre a nossa médica e o seu marido não andam lá muito famosas. Pouco a pouco, Grey’s tem vindo a pintar a ideia de que Bailey não se conseguirá acostumar ao trabalho de alto risco de Ben, e essa ideia foi reforçada neste episódio. No final, vemos Bailey a enviar uma mensagem a Ben a dizer que os dois precisam de falar. Sabemos que há uma tendência para as coisas não correrem bem quando essas palavras são proferidas, pelo que acredito que o futuro não é risonho para este casal.

De uma forma geral, acho que este episódio foi um pouco melhor do que aqueles que o antecederam. Apesar de ter servido (à semelhança dos anteriores) para “encher chouriços,” compensou ao puxar um pouco mais pelo lado emotivo. Adorei a pequena homenagem a algumas das personagens que já não se encontram entre nós, apesar de desejar que Grey’s tivesse feito mais referências às mesmas. Ainda assim, foi um bom episódio.

Inês Salvado