Classificação

7.5
Interpretação
7.4
Argumento
7.4
Realização
7.6
Banda Sonora

Atenção: esta review contém spoilers!

Esta semana, Grey’s Anatomy trouxe-nos Beautiful Dreamer, o 19.º episódio desta sua temporada. Neste episódio, um agente da ICE, a agência de imigração e alfândega americana, chega ao Grey Sloan em busca de um médico que pode estar no país ilegalmente. Entretanto, Kimmie decide que quer sair do hospital para apreciar o que resta da sua vida, mas Karev não parece aprovar essa decisão. Por fim, Arizona trata da bebé de Matthew (Justin Bruening) e April tenta fazer tudo ao seu alcance para ajudar.

Comecemos por falar sobre uma das personagens por quem me tenho vindo a afeiçoar no decorrer desta temporada. Essa personagem é Kimmie, a jovem com o tumor cerebral inoperável que nos foi apresentada em Harder, Better, Faster, Stronger. Desde que apareceu, Kimmie encarou o seu problema com otimismo e, até recentemente, acreditou que iria sobreviver. Uma lutadora, Kimmie sujeitou-se a todas as tentativas de tratamento e aguardou pacientemente enquanto Karev e Amelia procuravam uma solução para a sua condição, mas essa solução nunca chegou… Em Beautiful Dreamer, Kimmie conforma-se com esse facto. Não há solução para a sua condição e a nossa paciente está farta de desperdiçar o que sobra da sua vida entre as quatro paredes do seu quarto de hospital. Assim, Kimmie decide que está na altura de partir para Nova Iorque, para poder realizar o seu sonho de ver os vários musicais da Broadway. Como Karev não aceita a sua decisão, Kimmie parte enquanto este está numa cirurgia, pedindo apenas a Jo que se despeça do médico por ela.

Entretanto, Matthew regressa ao hospital com Ruby, que não tem comido bem. Apesar de, inicialmente, a criança ser vista por Arizona, esta rapidamente repara que Matthew não se sente confortável em tê-la como médica da sua filha, pelo que a nossa Dr.ª Robbins pede a Owen que a substitua. Isto dá a Arizona a oportunidade de se concentrar noutros casos que, por sua vez, lhe dão uma ideia: preparar-se para o inesperado antes que este aconteça. Assim, Arizona prepara um carrinho com tudo aquilo que precisa em caso de uma emergência, com o objetivo de reduzir o número de mortes em mulheres após o parto.

Enquanto isso, April monitoriza Owen enquanto este tenta perceber o que se passa com a pequena Ruby. April tem um palpite e sugere a Owen que procure um problema gastrointestinal em vez de um problema cardíaco. A Dr.ª Kepner acaba por ter razão e Owen informa Matthew que uma simples cirurgia resolverá o problema de Ruby. No final do episódio, encontramos April na capela com Matthew, que parece ter perdoado a médica, e vemos Owen a encontrar-se com um assistente social para dar início ao processo de acolhimento com intenção de adotar. Parece que o futuro reserva grandes mudanças na vida deste médico.

Por fim, falemos sobre a grande narrativa deste episódio. Como mencionei anteriormente, chega ao Grey Sloan um agente da ICE em busca de Sam Bello, uma das internas que chegou à série nesta temporada. Apesar de não ser segredo que não sou fã destes novos internos, a verdade é que existe sempre um ou outro que, pouco a pouco, se começa a entranhar. É este o caso de Sam, que ao longo dos episódios tem mostrado ser muito mais do que apenas a namorada de DeLuca. Apesar de Bailey e Meredith tentarem empatar ao máximo o agente e tentarem arranjar várias soluções para Sam, esta acaba por ter que abandonar o país, apesar de não ter feito nada de errado para o merecer. Apesar de não ser a situação ideal, Meredith consegue puxar uns cordelinhos para fazer com que Sam vá trabalhar com Cristina na Suíça. Algo que sempre admirei em Grey’s Anatomy é o facto de a série não fugir de tópicos que podem ser tidos como desconfortáveis para alguns. Apesar de não ser um tema muito presente no nosso contexto social, gostei imenso que abordassem esta narrativa que, de forma algo realista, não teve o final ideal esperado.

Não posso dar esta review por terminada sem antes mencionar, ainda que brevemente, toda esta história sobre Rebecca Froy (Jessica Steen). Infelizmente, este episódio não nos dá muita informação sobre o que levou à ação judicial entre Rebecca e Harper Avery. Da pouca informação que nos dá, conseguimos perceber que não foi nada de bom e que Jackson pode ter posto “a pata na poça” ao levantar o acordo de não divulgação que Rebecca havia assinado. Conhecendo Grey’s, pergunto-me se esta narrativa irá, de alguma forma, ao encontro do movimento Time’s Up, do qual Shonda Rhimes é apoiante… Parece que vamos ter que esperar para ver!

No geral, acho que Beautiful Dreamer foi um bom episódio. De certa forma, trouxe um fim a algumas narrativas (como é o caso de Kimmie ou de Olivia, que acabou por falecer neste episódio) e abriu a porta a outras futuras. Acho isto benéfico, uma vez que, por várias vezes, esta temporada de Grey’s se tornou bastante repetitiva ao focar-se vezes sem conta nas mesmas duas ou três narrativas.

Inês Salvado