Classificação

8
Interpretação
9.5
Banda Sonora
9
Argumento
8.5
Realização

Contém Spoilers!

Esta nova minissérie é baseada em eventos reais, com algum exagero à mistura, mas traz-nos ao pequeno ecrã a história de Anne Lister. Anne foi uma mulher que viveu no século XIX e que lutou contra os ideais de género vigentes na altura ao ser uma mulher muito pouco típica, desempenhando tarefas que normalmente eram associadas aos homens e sendo lésbica, direito pelo qual lutou.

O episódio começa logo com um pequeno twist. À primeira vista vemos uma mulher a queixar-se da irmã e parece que irá ser ela a personagem principal, quando na realidade Anne (a irmã) é que o irá ser e aquilo não passava de uma introdução genialmente feita. Anne é alguém muito pragmático e despachado e rapidamente percebemos que é ela quem trata dos afazeres da casa, como por exemplo recolher as rendas e tratar de todos os problemas adjacentes que aparecem. Foi um bom momento ver quando Anne pôs um inquilino no lugar.

Outro ponto positivo sobre a série é a sua capacidade de reconstruir uma época; sempre tive uma queda por séries de época, desde o ambiente todo antigo até às vestimentas utilizadas. E Anne Lister veste-se como um gentleman. Também é de notar a banda sonora, que é exímia durante o episódio todo. Parece-me que será a altura mais apropriada para falar do título da série. O título vem de uma música que foi feita por O’Hooley e Tidow, intitulada Gentleman Jack, inspirada em Anne Lister e que fala sobre o mesmo tema que a série, uma mulher que fazia o que os homens faziam e lutava contra a desigualdade de género.

Ao longo do episódio descobrimos que Anne tinha uma amante que não estava preparada para assumir uma relação numa sociedade que julgava estes casos como aberrações. Vimos que Anne sofreu muito com isso e que ainda não tinha sido capaz de superar na totalidade que a sua antiga amante se tenha ido embora para casar com um homem. Isto até conhecer uma jovem rapariga muito introvertida e bela com quem decide que irá tentar fazer um avanço e, quiçá, talvez até casar. Presumo que o enredo da minissérie irá passar muito por acompanharmos o percurso desta mulher enquanto luta pelo que é seu por direito e se apaixona por outra mulher.

Gostei muito do episódio e creio que vem numa altura em que é necessário mostrar que esta luta pela igualdade de géneros já está a ser feita há muitos anos e que existiram pessoas como Anne com uma força de vontade enorme. Numa altura em que é um tópico quente, acho que além do entretenimento que a série fornece (e que no fundo é sempre o objetivo macro de uma série), também nos mostra uma história inspiradora de uma mulher que apenas lutava para poder fazer o mesmo que todos. Irei sem dúvida continuar a ver o que vai saindo.

E vocês o que acharam?

Deixo-vos com a letra da música:

“Behind her back she’s Gentleman Jack
A Yorkshire lady of renown
She’s ever so fine, but she won’t toe the line
Upon her name the gentlemen frown
At Shibden Hall she had them all
The fairer sex fell under her spell
Dapper and bright, she held them tight
Handsome Anne seduced them well
Gentleman Jack, oh Gentleman Jack
Watch your back, you’re under attack
Their husbands are coming, you’d better start running
For nobody likes a Jack-the-Lass
Jack-the-lass, Jack-the-Lass
No-one likes a Jack-the-Lass
The code is cracked, your bags are packed
The knives are out for Gentleman Jack
Proud and stout with standing and clout
She played the fellas at their game
Ambitious of mind, she’s one of a kind
Her devilish ways the men couldn’t tame
Hidden away, revealed today
4 million words in diaries found
Motives exposed in a baffling code
Romantic yearnings all leather bound”

Raul Araújo