Classificação

8
Interpretação
7.8
Argumento
8.5
Realização
10
Banda Sonora

[Contém spoilers]

Oh meu Deus!!! Nem acredito que depois de 257 mil anos estamos de volta! Sentiram saudades das reviews de Game of Thrones? Okay, vá, quase tantas como da série!

Estou mesmo contente. Parece que já passaram eternidades desde que escrevi a review de The Dragon and the Wolf! Se estes dois anos anos sem a série foram desesperantes, nem imagino daqui para a frente! Prequels, apressem-se!!

Antes de começarmos com o episódio, tenho de fazer uma menção honrosa ao maravilhoso genérico da nossa querida série. Sempre adorei as aberturas e a música faz-me sentir chills em todos os episódios! Mas visto que as nossas personagens estão concentradas apenas em apenas três localidades em Westeros, a abertura mostrou-nos um pouco mais do castelo de Winterfell e da Fortaleza Vermelha. E a Muralha?? A querida e suposta inquebrantável Muralha de gelo tem um buraco enorme. Sim, nós já sabíamos do estrago provocado pelo Rei da Noite e Viserion, mas doeu na mesma.

Tirando uma temporada ou outra, os primeiros episódios da série são sempre como o dar à chave de um carro. Este não fugiu à regra. Desta vez foi mais enervante do que o costume porque só temos seis episódios e não dez! Seria de esperar algo… mais. Apesar de ter havido momentos brilhantes e WTF, ficou a saber a pouco.

Então vamos lá esmiuçar um pouco o primeiro episódio desta temporada final. Are you ready?

Porto Real

Ora bem… Euron prometeu e cumpriu  e a Companhia Dourada chegou a Westeros. Vinte mil soldados mudos (bem melhor do que não ter testículos) e zero elefantes (a amar todos os memes e mais alguns sobre este assunto!) preparados para lutarem por Cersei quando Daenerys e companhia chegarem a Porto Real para reclamarem o Trono de Ferro.

Cersei sempre teve das histórias mais interessantes em todas as temporadas, mas, com toda a ação e intriga a centrar-se no norte, que planos haverá para a personagem? Bom, os Caminhantes Brancos estão perigosamente perto de Winterfell, portanto a retirada para Sul não é de descartar.

Fiquei assim ligeiramente desiludida por Cersei se ter deixado levar por Euron, mas eu cá tenho uma teoria, como sempre. Repararam na cara dela quando Euron falou em bebés? Foi a cara de quem tinha acabado de abortar ou de quem nunca esteve grávida e ainda chora pelos três filhos mortos. Parte de mim desconfia que ela lançou a bomba do bebé a Jaime para o convencer a ficar do lado dela.

E que acham da proposta de Qyborn (de Cersei, vá) a Bronn? Acham mesmo que ele tem coração para matar qualquer um dos manos Lannister? Cersei perdeu o que lhe restava da alma com a morte de Tommen. Mas Bronn? Por muito que chore e lute pelo seu castelo, será que é capaz de mesmo tudo por ele?

Finalmente Theon cumpriu a promessa de resgatar Yara. A coisa foi muito apressada e fácil, bem ao estilo dos acontecimentos da 7.ª temporada, mas isso dá (quase) para esquecer. Daenerys recupera assim mais um aliado e Theon tenta acabar o seu arco de redenção ao juntar-se aos Starks na luta contra os mortos.

Winterfell

Drama. Drama. Incesto. Reencontros que nos encheram o coração e a alma. Dragões. Drama. Drama.

Foi basicamente isto que aconteceu no sítio que dá nome ao episódio. Dany e Jon chegam com as suas tropas (fiquei embasbacada com a quantidade de unsullied que ainda existem) a Winterfell. Depois de Pedra do Dragão e Porto Real, Daenerys tem a oportunidade de conhecer um bocadinho mais de Westeros, o Norte. As circunstâncias podiam ser bem melhores.

Bom, primeiro toda a gente merecia um par de tabefes. Quer dizer, os mortos vêm aí e esta cambada de imbecis só pensa em si e no sexo dos anjos.

Primeiro comecemos pelo óbvio… Jon e Daenerys. Sim, eu sou daquelas pessoas que atira a moral pela janela e que quer que tia e sobrinho continuem a sua relação incestuosa. Eu sei, é errado, ele é filho do Rhaegar, que por sua vez é irmão da Dany! Mas, mas… eles são tão fofis! E trazem o que de melhor há no outro. E o Drogon lança olhares divertidos ao Jon quando se estão a beijar. E OS DOIS VOARAM NOS DRAGÕES, FOR F**K’S SAKE! Certo, Jon só montou o Rhaegal porque também tem sangue Targaryen. Mas a Dany claramente não pensou nisso quando olhou para o Jony boy a montar o seu querido dragão. Só queria que ele fizesse ainda mais parte do mundo dela; estão apaixonados. Claro que isto vai tudo para as urtigas quando Jon contar a Dany aquele pequeno inconveniente de que ele é o verdadeiro herdeiro ao trono. Viram a cara quando Ser Davos e Tyrion discutiam a possibilidade de eles casarem?? O gajo já sabe quem Jon realmente é. Safadão!

Oh, Jon, Jon! Não querias nada disto, mas a grandeza não descola de ti. A cara quando Sam lhe conta a verdade é impagável. Engraçado que apenas mencionou o facto de o pai ter mentido a vida toda. A pessoa que ele mais admirava não era assim tão sincera. É bom que alguém lhe explique a sério o porquê de tanto segredo.

Sam: “Tu abdicaste da coroa para salvar o teu povo. Achas que ela faria o mesmo?”

(Honestamente? Nope.)

Estou muito curiosa para saber como é que esta história se vai desenrolar. Será que Jon não aguenta e vai falar com Dany? Ou vai fazer o mais sensato e fechar o bico até os Caminhantes Brancos serem destruídos? Cheira-me que a primeira opção vai ser a vencedora.

Jon continua, apesar de tudo, a ser a pessoa mais sensata no meio daquilo. As guerras de poder não interessam quando o inverno chega. E o Bran disse, mesmo ali para tirar logo o bom humor a uma pessoa, que a Muralha tinha caído!

Achei aquela revelação sobre a Muralha um pouco “meh”. Dany ia saber que tinham capturado o seu dragão e que ia ser usado contra eles todos. Não devia ter tido mais impacto??

É impressão minha ou Dany chegou a Winterfell como já fosse a rainha daquilo tudo? Okay, a receção que teve não foi propriamente a mais calorosa (é mesmo necessário esta hostilidade entre Dany e Sansa? O mundo está em perigo, deixem-se de tretas!), mas podia ter sido um bocadinho mais humilde. E juro que não contava que contasse assim à bruta a Sam que tinha morto o pai e o irmão dele. Sempre achei que o assassinato de Randyll e especialmente de Dickon (ahahahahaha) fora um erro. Foi das vezes que pensei que Daenerys podia ser mesmo filha do seu pai. Pobre Sam! E com isto Dany ganhou outro inimigo em Winterfell.

Agora, as reuniões… Há tanto, mas tanto, tempo que esperava que Jon e Arya se reunissem! Os melhores amigos, os manos mais chegados. Podia ter ficado a ouvi-los falar de espadas o episódio inteiro. Os Starks estão finalmente juntos e em casa. O meu coraçãozinho está bem mais feliz! Tyrion e Sansa reúnem-se depois de tantas temporadas, depois de Joffrey ter sido assassinado. Ambos passaram por um inferno, mas estão ali. Não no topo do jogo, mas perto.

E claro, a reunião do fim. Jaime chega a Winterfell e a primeira pessoa que vê é Bran, o rapazinho inocente que atirou da torre há tantos anos atrás.

Ah, e mais: como vai Daenerys reagir ao saber que Jaime – o homem que matou o pai a sangue frio – se juntou ao grupo?

Última Lareira

Por fim chegamos ao momento WTF do episódio. Primeiro: Wohoo, o Tormund continua vivinho da silva! Espero que viva o suficiente para ver a sua Brienne outra vez.

Portanto, os sobreviventes do ataque à Muralha dirigiram-se a Última Lareira, o castelo da Casa Umber (já repararam que todas as Casas agora são lideradas por crianças??), mas não foram os primeiros a chegar. O pequeno Ned Umber já tinha sido apanhado pelos Caminhantes Brancos.

Maria Sofia Santos