Quando dois atores diferentes interpretam o mesmo personagem nas séries
| 01 Mar, 2022

São muitos os casos em que atores diferentes interpretam o mesmo personagem nas séries, pelos mais variados motivos. Se se trata de miúdos, que mudam rapidamente num período curto de tempo, menos mal, mas quando falamos de pessoas adultas que nem sequer são minimamente parecidas, torna-se um bocado estranho. É certo que nalguns casos são personagens essenciais para a história e que não podem desaparecer de um momento para o outro, mas ainda assim não faz sentido e não dá para ignorar o óbvio. Vamos recordar alguns destes casos?

Aml Ameen e Toby Onwumere como Capheus Onyango em Sense8: Aml Ameen deixou o elenco da série de sucesso da Netflix, tendo sido substituído por Toby Onwumere. Não se sabe ao certo o porquê da saída de Ameen, embora tenham sido apontadas “diferenças criativas”, mas não era possível fazer desaparecer simplesmente Capheus da trama. Quer dizer, seria possível, mas não faria qualquer sentido, visto que se trata de um personagem essencial, como é qualquer um dos outros sete membros da cluster. Onwumere assumiu então o papel na 2.ª temporada e não vou dizer que não foi estranho ver esta mudança, mas acabou por resultar bem, de alguma forma. Talvez porque não havia mesmo outra forma de fazer as coisas, mas também porque as histórias do personagem foram um pouco diferentes nas duas temporadas.

Anita Barone e Jane Sibbett como Carol Willick em Friends: Para ser sincera, nem me lembro de ver Anita Barone como Carol, o que é compreensível, visto que apareceu apenas num episódio. Ao que parece, terá sido a própria atriz a querer sair da série, para perseguir papéis de maior protagonismo. Barone tinha, inclusive, feito testes para uma das personagens principais em Friends, antes de conseguir o papel que acabou por rejeitar. A partir daí, Jane Sibbett assumiu a personagem. Sem desprimor da sua antecessora, Sibbett é bastante engraçada, embora ache sempre que acaba por ser um bocadinho eclipsada por Jessica Hecht, que interpreta precisamente Susan Bunch, a companheira de Carol. Sibbett não faz parte do núcleo principal de Friends, mas a sua Carol não deixa de ser uma personagem bastante interessante, engraçada e até marcante, visto que na altura não havia muitas personagens LGBTQ+ na televisão. Gostei que tivessem feito de Carol uma pessoa de quem é fácil gostar, em vez da ‘má da fita’ por ter deixado Ross.

Ed Skrein e Michiel Huisman como Daario Naharis em Game of Thrones: Durante a 3.ª temporada, Skrein deu vida a Daario. No entanto, nos três anos seguintes da série, seria Huisman a assumir o papel do aliado e também amante de Daenerys. Os dois atores não podiam ser mais diferentes em termos físicos, por isso é impossível não dar pela troca. Na altura, terá havido rumores de que Skrein saíra da série para poder alinhar noutro projeto, mas o ator confessou mais tarde que o seu plano era continuar em Game of Thrones, embora não tenha sido isso que acabou por acontecer. Não foram apontados os motivos para esta mudança de atores, mas Skrein tinha entrado apenas em três episódios e, num elenco tão vasto como é o desta série, acaba por não ser surpreendente ver estas coisas a acontecerem, até porque não foi o único caso. 

Liam Garrigan e Gwilym Lee como Henry Jameson em Land Girls: Esta série centra-se num grupo de jovens, comummente conhecidas como Land Girls, que se juntaram ao Women’s Land Army, uma organização civil britânica criada durante a Primeira Guerra Mundial para que as mulheres pudessem trabalhar na agricultura e que foi reavivada na Segunda Guerra Mundial, precisamente a época em que a trama é passada. Garrigan deu vida a Henry James, o Reverendo local e noivo de Connie, uma das personagens principais. O ator marcou presença em quatro episódios da 2.ª temporada, tendo sido substituído na terceira e última por Lee. Acho que teria sido preferível que a série ‘abandonasse’ o personagem e que tivesse arranjado uma justificação plausível para o desaparecimento de Henry da vida de Connie. 

Gianna LePera e Bailee Madison como Hillary Harrison em Trophy Wife: É mais um caso de uma substituição rápida, ao fim de um episódio. A mudança de atores pós episódio piloto é frequente, mas parece preguiçosa, principalmente quando se trata de personagens que não têm o protagonismo. Não era preferível regravar as cenas em questão com o intérprete definitivo? Pelos vistos, a ABC achou que não era necessário fazer isso e simplesmente trouxe Madison para substituir LePera. Sinceramente, acho Bailee uma opção melhor que funciona bem com o restante elenco, mas Gianna já tinha aparecido também nos posters e nos trailers promocionais e já era, de certa forma, o rosto de Hillary. 

Jake T. Austin e Noah Centineo como Jesus Adams Foster em The Fosters: Para mim, é o caso mais gritante desta lista. Jesus era um dos personagens principais de The Fosters, parte da família central da série, portanto é demasiado esquisito que tenha passado a ser interpretado por um ator diferente ao fim de duas temporadas inteiras. Ainda por cima, o final da 2.ª temporada tinha mostrado aos espectadores um acidente de carro que envolvia Jesus. Assim sendo, teria sido fácil aproveitar esse mesmo acidente para matar o personagem. É provável que o canal e a série não quisessem ir por aí, mas acho que é muito melhor fazer bom drama do que substituir um ator a meio da série, ainda para mais quando Austin e Centineo são tudo menos parecidos fisicamente.

Jane Levy e Emma Greenwell como Mandy Milkovich em Shameless: Levy deu vida a Mandy na 1.ª temporada da versão americana de Shameless, mas deixou o elenco para protagonizar Suburgatory. Assim sendo, a série procurou outra atriz para dar vida à personagem e Greenwell foi a escolhida, tendo marcado presença da 2.ª à 6.ª temporada. Na minha opinião, Mandy era uma personagem sem a qual Shameless sobreviveria, mas, para ser sincera, já nem me lembro muito bem da Mandy de Levy. 

Molly Ephraim e Molly McCook como Mandy Baxter em Last Man Standing: Já com Kristin, a irmã mais velha de Mandy, tínhamos assistido a uma troca de atrizes. No entanto, isso tinha acontecido ao fim de uma temporada. Já Mandy, foi interpretada durante seis temporadas por Ephraim para depois o papel ser entregue a McCook. É certo que a série foi cancelada na ABC e depois resgatada pela FOX, portanto Ephraim já se tinha comprometido com outros projetos. Ainda assim, de certeza que era possível arranjar uma justificação para a filha do meio dos Baxter não aparecer mais. Quer dizer, as pessoas mudam-se a toda a hora para outros países… O problema maior é que nem sequer parece haver um esforço para tornar a nova versão da personagem mais parecida com a anterior. É claro que pintar o cabelo de McCook de escuro não o tornava parecida com a antecessora, mas mal não fazia.

Merrin Dungey e Audra McDonald como Naomi Bennett em Grey’s Anatomy/Private Practice: McDonald deu vida a Naomi durante toda a jornada de Private Practice, mas quando a personagem foi apresentada ainda em Grey’s Anatomy, nos episódios que introduziram o spin-off, foi interpretada por Dungey. A troca acabou por ser boa porque, não sei porquê, não vou muito com a cara de Dungey (também não gostei de a ver em Once Upon a Time, por exemplo) e McDonald é uma atriz de um nível superior, mas não deixa de ser estranho. 

Ross Butler e Charles Melton como Reggie Mantle em Riverdale: Esta é a única série da lista que não vi e, tanto quanto ouço acerca dela, é o melhor que faço. O intérprete original de Reggie foi Butler, mas o seu papel em 13 Reasons Why impediu-o de conciliar os dois trabalhos, apesar de lhe ter sido dada a oportunidade de ter participações reduzidas em ambas, mas o ator acabou por fazer a sua escolha. Abandonou então Riverdale pela série da Netflix e Melton ficou com o personagem do drama da The CW a partir da 2.ª temporada.

Tom Ellis e Sean Maguire como Robin Hood em Once Upon a Time: Quando Robin Hood apareceu pela primeira vez na série, num dos últimos episódios da 2.ª temporada, foi Ellis quem lhe deu vida. No entanto, na estreia do terceiro ano de OUaT, foi Maguire quem se chegou à frente. Ellis não estava disponível para continuar no papel e havia um arco da história à volta de Robin, portanto era imperativo arranjar uma alternativa. Aqui não haveria mesmo outra opção, porque muitas histórias importantes da série não poderiam ter acontecido sem o personagem. Sinceramente, já nem me lembrava que outra pessoa que não Maguire tinha sido Robin.

Muitos outros casos semelhantes havia para apresentar, como o da Tia Viv em The Fresh Prince of Bel-Air, Santiago em Crazy Ex-Girlfriend, Dickon Tarly em Game of Thrones, James Kent em True Blood ou o da mãe de Kara em Supergirl, mas não dava para falar de todos. No entanto, se quiseres, partilha connosco algum caso destes de que te lembres.

Diana Sampaio

Publicidade

Populares

minx sugestão

obi-wan kenobi

Recomendamos