Continuamos a trazer curiosidades sobre as tuas séries favoritas! Descobre algumas sobre um dos grandes sucessos dos anos 90, Xena: Warrior Princess:

1. A série é um spin-off de Hercules: The Legendary Journeys (As Aventuras de Hércules). Nele, Xena deveria ter aparecido em apenas três episódios, sendo que no último era suposto que tivesse morrido, mas os produtores aperceberam-se do sucesso que a personagem conquistou junto do público e decidiram lançar uma nova série sobre as suas aventuras. Vanessa Angel (Weird Science) tinha sido a escolha original para dar vida à princesa guerreira, mas uma gripe forte impediu-a de fazer a viagem de avião até à Nova Zelândia, onde decorreriam as filmagens, e então acabou por ser Lucy Lawless a ficar com o papel. Quem também esteve em hipótese para dar vida à protagonista foi Melinda Clarke (The O.C.), que viria a interpretar Velasca na 2.ª temporada.

2. Robert Tapert, um dos criadores da série, procurou modelos de inspiração para Xena no cinema asiático e encontrou-a, grande parte, em Lien Ni-Chang, a personagem de Brigitte Lin num filme chinês conhecido como The Bride With White Hair (Bak Fat Moh Lui Zyun), acerca de uma bruxa, uma guerreira que trabalha como assassina para um culto, e que acaba por se redimir do seu passado. A forma como foi escolhida a arma de eleição de  Xena foi mais por acaso. Tapert possuía um livro de armas antigas e encontrou lá uma chamada Chakram. Como a considerou a “arma mais fixe que já tinha visto”, decidiu escolhê-la para Xena e ficou decidido que nenhuma outra personagem a usaria. O Chakram é uma peça redonda que foi usada sobretudo por guerreiros indianos, mas que também se assemelha a uma arma japonesa, kanawa, também usada por ninjas. Apesar de esta arma estar associada mais à cultura indiana, a série é passada sobretudo numa versão fictícia da Grécia Antiga, com alusões também à Roma Antiga. Quanto ao famoso grito de guerra de Xena, Lawless moldou-o com base nas ululações das mulheres árabes.

3. Jennifer Sky, que viria a interpretar Amarice em seis episódios da série, fez audições para o papel de Gabrielle. No entanto, a escolha original para o papel da melhor amiga de Xena foi Sunny Doench (A Darker Reality), só que a atriz recusou porque não queria ficar longe do namorado e então acabou por ser Renée O’Connor a dar vida à personagem. Falando em Renée, foi a própria atriz a fazer a maior parte das suas próprias cenas de ação e de luta.

4. Houve sempre muito debate em relação a uma possível relação amorosa entre Xena e Gabrielle, algo que os argumentistas da série preferiram deixar sempre ambíguo. No entanto, Lucy Lawless já confessou acreditar que, de facto, houvesse um envolvimento entre as duas personagens.

5. Lawless fraturou a pélvis em 1996, ao ser atirada de um cavalo, e houve vários episódios da 2.ª temporada que tiveram de sofrer alterações para que a atriz recuperasse. Nalguns episódios a sua participação foi muito breve (sendo que num deles recorreram a arquivos de filmagem) e criaram-se outros episódios novos. Na 5.ª temporada, a a ficção também teve de ser moldada para ir de encontro à vida real. Assim sendo, a gravidez de Lucy foi incluída na série e Xena teve um bebé, uma menina chamada Eve.

6. Era suposto que Karl Urban tivesse voltado a interpretar o seu papel de Cupid durante o arco The Twilight of the Gods na 5.ª temporada da série, mas nessa altura o ator encontrava-se a filmar a trilogia The Lord of the Rings e não foi possível conciliar as gravações dos dois projetos. No entanto, Urban voltou à série na 6.ª temporada, só que desta vez no papel de Julius Caesar.

7. Em 2006, Lucy Lawless doou o seu fato de Xena ao Smithsonian Institute, uma instituição educacional e de pesquisa complementada com um complexo de museuso maior complexo de educação, pesquisa e museus do mundo.

8. Em 2005, um novo planeta – ou melhor, um planeta anão – foi descoberto. Chamaram-lhe Eris, em homenagem à deusa grega da discórdia. No entanto, a equipa que fez a descoberta usava Xena como nome não oficial para o planeta. Diz-se até que esse nome teria ficado reservado para a primeira descoberta que fizessem que fosse maior que Plutão.