A atriz Katherine McNamara esteve presente no segundo dia da Comic Con Portugal 2017. Katherine é principalmente conhecida pela sua participação em Shadowhunters, tendo também entrado em séries como The Fosters e na saga de filmes The Maze Runner.

CONFERÊNCIA DE IMPRENSA:

Tivemos a oportunidade de estar à conversa com Katherine McNamara na conferência de imprensa, no segundo dia da Comic Con Portugal.

Durante toda a conferência de imprensa predominou o tema da série Shadowhunters – que Kat protagoniza, com o papel de Clary Fairchild. Para além de dar vida à personagem na série, Kat leu os livros que lhe deram origem, o que permitiu abordarmos um pouco mais esta questão.

A conferência de imprensa começou com uma pergunta feita por um outro membro da imprensa, entrando logo na relação entre os livros e a série – se havia algo dos livros que não foi incluído na série e que Kat gostava que tivesse sido. Sempre com um sorriso de orelha a orelha e uma simpatia super contagiante, Kat referiu que apesar de alguns elementos dos livros terem sido representados de forma diferente na série, ela sente o dever de atribuir todo o crédito aos argumentistas, realizadores e produtores por terem conseguido encontrar um equilíbrio entre os dois. Acaba por ser também o facto de haver pequenas diferenças entre ambos que permite aos seguidores dos livros encontrarem surpresas ao verem a série.

A conferência continuou com Katherine a responder à nossa pergunta sobre se ter lido os livros lhe permitiu acrescentar carácter a Clary, ao que Kat confirmou que acabou por perceber melhor a sua personagem. Os livros são escritos, maioritariamente, sob o ponto de vista de Clary e Kat confessou ter sido também um dos maiores motivadores para ler os livros – uma vez que desta forma poderia ter um entendimento melhor do ponto de vista e emoções que assoberbam Clary durante as suas desventuras.

Ainda na relação saga dos livros/série, perguntamos-lhe sobre a possível integração de elementos das outras sagas dos livros (Infernal Devices e Dark Artifices) e muito evasivamente Kat responde que iremos poder ver alguns elementos do passado dos personagens daqui em diante.

E após esta entrada subtil da atriz no tema da 3.ª temporada de Shadowhunters, pensámos em vocês e conseguimos arrancar-lhe algumas revelações! Parece que ressuscitar Jace vai trazer imensas consequências, tanto para Clary como para Jace – especialmente do ponto de vista da complexidade emocional. E quem sabe se Valentine não vai voltar? Nas palavras de Katherine, “a sua presenta vai definitivamente sentir-se”. Em relação a Sebastian/Jonathan? Kat focou-se imenso na relação inicial entre eles – especialmente o facto de Clary querer sempre acreditar que o irmão tinha salvação; o que parece querer dizer que a próxima temporada vai ter um importante foco na interação entre eles os dois, se bem que [Kat diz que] «é difícil ter uma relação com ele quando está sempre a tentar matar as pessoas de quem ela gosta»!

Continuando com o tema da 3.ª temporada, e em tom de brincadeira, perguntámos-lhe o que é que se estava a passar com a obsessão de Seelie Queen com Simon. Kat deixou claro que Seelie Queen tinha mais era que deixá-los em paz e sossego, mas que haverá uma boa parte da temporada onde isso se vai desenvolver; assim como, de acordo com a mesma, existirão novos vilões e novos desafios à porta! Está tudo deserto para saber o que se vai passar?

Após ser ‘coagida’ a falar sobre o que aí vem, o tom da conferência mudou para a experiência de Kat com o que já aconteceu. Começando com a razão pela qual se sente atraída por Shadowhunters, a atriz responde que o mais bonito da série é haver uma área cinzenta muito grande no que toca à construção das pessoas. Nem tudo é 100% mau e nem tudo é 100%. Um anjo pode ter uma atitude muito negativa, enquanto que um demónio pode surpreender pela positiva. Passou também por comentar as cenas de luta que filma, explicando que a sua dupla tem sido uma grande ajuda – tanto em cena de lutas como na forma como ela tem que se posicionar; uma vez que a própria admite ser demasiado descoordenada, é sempre ótimo ter alguém que a possa ajudar com isso.

Ainda falou um pouco das filmagens – especialmente dos episódios 14 a 20 da temporada – que filmaram em bloco e que realmente a marcaram a ela e ao resto da equipa de atores como um conjunto de episódios em que demasiadas mudanças importantes acontecem na série. Ainda acrescentou que em termos de filmagem e guião, o maior desafio de Shadowhunters foram as gravações de Lake Lyn, dos últimos episódios da 2.ª temporada – tanto a nível emocional como físico. Mesmo assim, o esforço e sofrimento compensou pelo resultado que obtiveram.

Quanto à possibilidade de regressar a The Fosters, Kat confessou que adorava voltar, até por ter gostado bastante de trabalhar com o elenco e da personagem que representou, mas que de momento não existem planos para tal acontecer. Falou também das filmagens do filme The Maze Runner, de como se sentiu em família tal como Shadowhunters a fazia sentir e de como tinha sido uma experiência muito positiva para ela.

Terminou assim a conferência de imprensa, ainda com tempo para fotografias com os intervenientes e uma pequena conversa de circunstância!

PAINEL:

Ao início da tarde pudemos estar presentes no painel de Katherine McNamara, moderado pelo nosso amigo Joe Reitman.

No painel conseguimos ficar a saber um pouco mais sobre a sua vida pessoal/profissional – desde o facto de ter terminado a escola secundária aos 14 anos, ter tirado uma licenciatura em economia e gestão e estar neste momento a tirar um mestrado em Literatura.  Ainda falando um pouco de si e das suas atividades extra-carreira, Kat partilhou com o público que faz parte da associação Girl Up das Nações Unidas assim como de outras missões humanitárias anti-bullying.

Foram-lhe colocadas algumas perguntas muito semelhantes às da conferência de imprensa e Kat abordou-as todas com a maior simpatia e com um enorme carinho para com todos os fãs que subiam ao microfone, meio a medo, para poderem falar com a atriz. Falou um pouco sobre a sua relação com o resto do elenco, especialmente de Alberto (que faz o papel de Simon) e da forma como ela consegue aprender com todos eles um pouco: desde Harry Shum ser a pessoa com quem se aconselha (e de ela ser uma enorme fã do seu trabalho como Magnus); até ao facto de Maxim se comportar um pouco como a sua mãe no set… Acabou também por expressar alguma tristeza com a morte da personagem de Maxim (Jocelyn Fray) na série quando falou dela.

Um fã teve oportunidade de lhe perguntar que mulheres a inspiravam como pessoa e como atriz e Kat falou na sua família, de como vem de uma família de mulheres independentes com uma carreira formada e uma família muito forte e de como isso a faz querer ser assim. Sobre as suas inspirações em termos de carreira como atriz, falou em Viola Davis e Jessica Chastain.

Falou das suas séries favoritas e nisto deu evidência a séries que todos conhecemos: Orphan Black, Game of Thrones, Orange is the New Black… enfim, revelou-se uma verdadeira seguidora de séries, tal como nós!

Após mais duas ou três questões finais dos fãs, despedimo-nos do painel de Kat com a atriz a dizer que Magnus só pode ser descrito de uma forma: mágico. Licitou vários risos da plateia, deixando toda a gente num momento positivo quando se despediu com uma fotografia dela, de Joe Reitman (moderador) e do resto do público em formato selfie!

Joana Henriques Pereira

25311092_10215204982540646_83795464532874555_o