A atriz japonesa, Rila Fukushima, conhecida especialmente pelos seus papéis como Katana na série Arrow e como Yukio no filme Wolverine, está na Comic Con Portugal 2016 e nós estamos a acompanhar os passos dela por cá.

Conferência de Imprensa:

O Séries da TV teve a oportunidade de estar presente na conferência de imprensa de Rila Fukushima, atriz que dá vida a Katana em Arrow.

A primeira pergunta foi nossa! Conhecendo a personagem de Katana – uma rapariga que se torna samurai após passar pela morte da sua família – quisemos saber como foi para ela interpretá-la, se teve dificuldade em dar vida a uma mulher com uma personalidade como aquela. Rila disse que, sendo o primeiro trabalho numa série americana, o elenco e a equipa da série foram fulcrais na sua integração. Ainda nos presenteou com uma proximidade a Stephen Amell (uma vez que a maior parte das suas cenas flashback foram com ele), dizendo que ele foi impecável em apresentá-la a toda a gente e a fazê-la sentir-se em casa.

Ainda no contexto da primeira pergunta, Rila comentou em tom de brincadeira que se estivesse vestida de civil não se sentia na personagem, mas a partir do momento em que vestia o belo fato que lhe fizeram para ser Katana se sentia muito forte e que sentia ser a maior influência para se tornar a personagem à qual deu vida em Arrow.

Seguiram-se questões sobre os filmes onde ela também esteve envolvida: Wolverine e Ghost In The Shell. Falou um pouco sobre como Wolverine mudou a sua vida, sendo o primeiro papel que fez fora do Japão. Sobre Ghost In The Shell abordou um bocadinho a questão de ser uma fan favourite para protagonizar o seu papel e do quanto o anime fez parte da sua infância no Japão.

Rila também partilhou, como resposta a uma questão que lhe foi posta, que a produção de filmes e séries era bastante distinta e não comparável. No caso das séries, ela fala que se passa bastante mais tempo em set para gravar a história inteira que é preciso e que o compasso de gravação é diferente.

A participação de Rila em Game of Thrones também foi falada mas, claro, sendo a série que é, só muito por alto. Ainda tentaram saber se ela ia voltar a ter mais uma participação em GoT, mas Rila disse uma resposta explicitamente. “Não sei de nada!”.

Após uma breve pausa, partimos para um tema mais leviano: mais um vez tivemos oportunidade de lhe colocar mais uma questão e aproveitámos para saber um pouco da sua estadia em Portugal. Nisto surgiu um cenário bastante engraçado! Descobrimos que no Japão existe um parque de diversões inspirado na cidade do Porto. E esta, hein? Rila partilhou que há uns anos atrás gravou um anúncio de um carro cujo cenário era a cidade do Porto, mas como não podiam viajar até cá tiveram que gravar nesse parque de diversões. Então ela adorou vir à cidade e conhecer finalmente a cidade onde gravou um dos seus primeiros mini-projetos televisivos!

Claro que no seguimento de termos falado do Porto, sugeriram-lhe que provasse uma francesinha! E mais: que francesinha se traduzia para ‘little french girl’. Obviamente que ela ficou muito escandalizada com o nome, mas prometeu provar!

De seguida surgiram mais algumas questões relacionadas com a sua transição de modelo para atriz, ao que ela aproveitou para dizer que ser atriz foi algo que surgiu como uma consequência de evolução e não como um sonho de sempre, mas que a cada projeto que tem vive intensamente porque os aproveita como se fosse o último. Rila vive no Japão e sempre que tem um projeto desloca-se aos Estados Unidos para o fazer. Ainda partilhou que é bastante fã de fazer as suas próprias cenas de ação e que o faz sempre que pode.

No seguimento da pergunta anterior, aproveitámos para lhe fazer mais uma questão, tentando perceber se não era difícil para ela  andar constantemente a mudar de país para fazer uma gravação de um projeto. A isso respondeu que se tivesse que gravar após ter aterrado – o que acontece com frequência (vida de ator é dificil!) – era bastante complicado, mas que gosta bastante de estar constantemente a mudar de ares e de estar rodeada de diferentes culturas em diferentes alturas.

Quase a chegar ao final da conferência, Rila falou (muito pouco!) dos seus projetos futuros, até porque, para além de Ghost In The Shell, revelou que estava envolvida noutro projeto, mas não podia falar sobre ele.Esperemos para ver! A título de curiosidade, e para os que gostam destas diferenças culturais, Rila disse que no Japão não havia toda esta mística de secretismo em volta de projetos novos porque as pessoas tinham a noção de diferença que nos EUA não tinham, no sentido em que têm que constantemente estar a dizer o que se pode e o que não se pode contar, enquanto no Japão as pessoas têm mais essa noção autonomamente.

Uma das últimas perguntas também foi nossa: quisemos saber em que série é que ela não tenha participado, mas em que gostava de ter a oportunidade de o fazer. E não é que ela nos surpreende e nos pede a nós uma sugestão? Sugerimos American Horror Story! Acham que sim? Rila ainda partilhou que conheceu o elenco da série e gostou imenso deles e dos conhecer e que considerou uma participação como uma hipótese (e inclusive disse que a manager, que estava sentada ao fundo da sala, não estava totalmente em desacordo). Quem sabe um dia…

E assim termina a conferência de imprensa de Rila (com um pequeno presente dela a dizer «Obrigado»), ao qual a sala inteira retribuiu com um «Arigato». Sempre com um sorriso na cara, assim se manteve do início ao fim!

Painel

Estivemos também presentes no painel dedicado a Arrow com a nossa querida convidada Rila Fukushima e um moderador fantástico – Luís Filipe Borges.

Assim que chegou, com um sorriso na cara, Rila introduziu-se em português (no melhor que conseguiu, claro) e dirigiu-se ao moderador – o Boinas – perguntando-lhe como ele estava, conquistando o coração do público de imediato!

Ambos conversaram um pouco sobre a carreira de Rila, começando pela sua carreira de modelo até ao momento em que ela começou como atriz, até chegar a Arrow e ao seu papel de Katana. Rila partilhou que antes de sequer ser modelo quis ser agente de modelos, até que a pessoa que foi a sua agente durante algum tempo lhe disse: começa como modelo e depois logo vês! E assim ficou: Rila foi modelo, tornou-se atriz e esteve connosco no painel do dia 11 da Comic Con Portugal.

De seguida conversaram um pouco sobre o Porto, sobre os locais que Rila já tinha visitado – e mais uma vez partilhou a história do parque de diversões inspirado no Porto que existe no Japão – e sobre ter finalmente provado a nossa francesinha (little french girl) e ter gostado!

Seguiram-se as questões do público. Entre algumas perguntas sobre os seus papéis de Wolverine e Ghost in The Shell, aquilo que mais preencheu o painel foi definitivamente o seu papel de Katana.

Desde questões sobre a relação de Tatsu (Katana) com Maseo (o seu esposo na série) e sobre a interpretação de cenas mais emocionais até comparações entre esta relação e a relação de Oliver e Felicity às quais Rila respondeu com a maior graciosidade, deixando sempre espaço aos fãs de continuarem a imaginar e a criar as suas próprias ideias. Mais uma vez, falou que gostava de fazer as suas próprias cenas de luta, mas tinha ajuda de uma grande equipa e de duplos muito bons.

Algumas comparações foram feitas entre a Katana de Rila e a Katana do filme Suicide Squad, mas como Rila ainda não tinha visto, não se alargou muito com as diferenças. Falou mais um pouco da sua interpretação de Katana, do quanto tinha que entrar na personagem e que após as férias do Natal era mais complicado, devido a ter passado tanto tempo em família e em convívio feliz, ter de voltar a entrar na onda de uma personagem tão profunda.

Nisto aproveitámos para colocar a nossa própria questão: quisemos saber se ela gostava de ver uma série sobre a Katana e se gostava de a interpretar. Ela recebeu a nossa questão muito bem, dizendo que para ela era um elogio saber que a versão dela da Katana suscitava este interesse nos espectadores. Em seguida aproveitámos a deixa para lhe oferecer um dos nossos pins de Arrow, que ela adorou e fez questão de mostrar a toda a gente que estava na plateia!

A aproximar-se o final do painel, Rila falou um pouco da produção de filmes no Japão e da sua participação em Game of Thrones e em quanto – apesar de estar pouco à espera de ser escolhida – estava ansiosa para ir para Belfast e do quanto gostou de filmar na série. Também lhe perguntaram se ela iria regressar mas claro, Rila não sabia de nada (ou não podia dizer!).

O painel terminou com uma selfie conjunta de Rila, Luís Filipe Borges e o resto da plateia junto a ela, para que ela levasse mais uma boa recordação de Portugal! Qualquer dificuldade de comunicação que Rila pudesse ter foi completamente apagada pela boa disposição e disponibilidade para responder a todas as questões com uma simpatia inigualável, que nos deixou a todos a  gostar ainda mais desta atriz!

Joana Henriques Pereira