Como mãe de duas crianças e com um enorme gosto por ver séries com o meu marido, fomos ajustando horários para que tivéssemos oportunidade de usufruir de tempo de qualidade em família, mas também de não perder muitas das séries que acompanhávamos. Desde inventar jogos de tabuleiro, a lutas de balões de água, as brincadeiras em família são sempre muitas. No entanto, é sabido que com crianças é necessária alguma moderação na visualização consecutiva de séries. Não só porque o conteúdo pode não ser apropriado, como a quantidade de horas em frente ao televisor ou computador não é um exemplo a dar a um pequeno ser que se está a formar! Isto não implica deixar de ver séries, apenas há a necessidade de alguns ajustes! Por exemplo, as séries mais violentas devem ser deixadas para depois das 21h, contando que os descendentes já se encontrem a dormir! Isto porque a maturidade e experiências que eles não têm, não os deixa compreender a história como um adulto o faria, focando-se nas ações e tomando-as, muitas vezes, como aceitáveis.

Assim que a idade e alguma maturidade o permitirem, os momentos em família também podem ser partilhados com algumas séries! Foi o que aconteceu na nossa casa! Aproveitámos as séries para abordar alguns assuntos e aproveitámos as dúvidas para esclarecer questões que podiam não surgir de outra forma. Além disso, como são  em inglês, implica que haja uma velocidade de leitura adequada para ler e compreender o que se passa (o que pode implicar o adulto parar o episódio para perguntar à criança o que se está a passar). Tal como a leitura, a televisão também desenvolve vocabulário e muitas vezes a própria criatividade, dependendo do que se observa e da conversa que se faz com o que se viu!

Aqui seguem algumas das séries que foram acompanhadas em família e recomendadas por mim.

The Mysteries of Laura

mysteriesofLaura

Uma das preferidas! Para as famílias que gostam de mistérios e que se identificam com uma secretária, um carro e uma casa desorganizados, então esta série com a detective Laura Diamond é para vós! Mãe de dois gémeos muito ativos e com um sexto sentido para resolver casos policiais, esta mulher aproveita todas as oportunidades para relaxar, principalmente quando está a resolver algum caso que lhe permita aproveitar um spa ou uma festa! As situações prediletas estão muitas vezes relacionadas com os disparates normais dos filhos ou com a forma como Laura desembaraçadamente resolve algumas situações. As personagens de Max e Alicia tornam o ambiente divertido com as suas intervenções ou comentários aguçados. Os episódios suscitaram a ‘discussão’ de temas como a separação, traição e foram sugeridas formas de encarar questões como “o que farias se os teus filhos fossem acusados de bater noutras crianças e eles continuassem a dizer que não o tinham feito?”.

The Librarians

librarians

Ao contrário do que fizemos com outras séries, nesta não fizemos uma visualização prévia para perceber se era adequada. O trailer chegou para que concluíssemos que não haveria problema em vê-la em conjunto. Trata-se de um grupo de mentes brilhantes que se vê em várias aventuras mágicas e do fantástico, onde se resolvem mistérios relacionados com histórias ou situações, algumas já nossas conhecidas. The Librarians abre as portas para a magia que há por detrás das bibliotecas, um local sempre interessante para visitar em família! Quase todos os episódios fizeram sucesso com as crianças, excepto um. Estou a falar daquele com a casa assombrada! O resultado foi uma noite com conversas de casas assombradas e pesadelos! Os episódios seguintes não foram problemáticos, mas como pais ficámos com a pulga atrás da orelha. A segunda temporada já começou e já nos perguntaram quando íamos começar a ver, pois nem sempre as acompanhamos semanalmente, até porque ocorrem pausas no meio das temporadas que nos permitem juntar mais episódios para ver de forma mais seguida.

Scorpion

Scorpion

Uma equipa de génios que ajuda a NSA a resolver alguns dos casos mais difíceis! Recorrendo às suas capacidades matemáticas, de engenharia, mecânica, psicologia comportamental ou outras, este grupo consegue arranjar soluções para as diferentes situações a que são postos à prova. A indicação de que algumas destas situações foram baseadas em acontecimentos verídicos deixa as crianças (e até os adultos!) a ponderar quais destas situações poderão ter mesmo ocorrido! Nesta série, para além dos génios, também nos é apresentada Paige, como sendo “normal”, mas mãe de uma criança especial, Ralph. Esta personagem faz a ponte de ligação, que se torna necessária, entre os elementos da equipa e uma forma mais adequada (esperada socialmente) de interagir. A presença de uma criança diferente foi importante para relembrar que todos somos diferentes e que, de certa forma, temos capacidades únicas que nos podem distinguir. Estas capacidades podem nem sempre estar relacionadas com competências intelectuais, mas serem manifestadas a nível de relacionamento, afetos ou habilidades físicas.

The Flash

the flash

Para os seriólicos que querem apresentar o Universo DC aos seus filhos, The Flash é uma série boa para começar, uma vez que não é das mais obscuras! Atenção que se trata de fantasia e ajuda quando os personagens da BD já são conhecidos. Em resumo, Barry Allen adquire a capacidade de velocidade e, com a ajuda de uma equipa que conhece o seu segredo, ajuda a desvendar casos que ocorrem com outros porque outras pessoas usam os seus poderes para o mal. Com uma série como esta, os temas de conversa podem rodar os superpoderes que cada um escolheria para si. Não se espantem de ouvir descrições incríveis de poderes que podem nem vos passar pela cabeça!

Castle

Castle_laser_tag

Castle é um escritor que utiliza a sua imaginação literária e pensamento fora da caixa para ajudar a resolver crimes na cidade de Nova Iorque. Juntamente com uma equipa de detectives, liderada pela destemida Kate Beckett, eles conseguem resolver os homicídios mais intrigantes. Através de comportamentos não convencionais, Castle consegue “convencer”, por exemplo, uma testemunha com hiperosmia (olfacto muito apurado) a sair de sua casa e a identificar o culpado de um crime. Este escritor mostra que a brincadeira, boa disposição, otimismo e criatividade não têm idade.

The Goldbergs

the goldbergs

Uma série narrada pelo personagem principal e que conta como foram os anos 80! É uma boa série para mostrar algo às crianças que hoje em dia já não usamos, apresentando as novidades que ajudaram a construir o que temos agora! O impacto da tecnologia lembra-me sempre as férias de há 7/8 anos, quando nos esquecemos de levar a máquina digital e resolvemos comprar uma descartável. Resultado: quando tirávamos uma foto, a minha filha mais velha queria ver e nós tentávamos explicar que só as íamos ver quando voltássemos à loja! Sim, ficámos com fotos desfocadas e outras de bocados de braços e pernas, pois achavam que podiam tirar as fotos que quisessem!

The Middle

the middle

Uma família desorganizada, com três filhos, que tenta ultrapassar as etapas da vida no meio de muita confusão! Esta família está habituada a jantares de take-out e utiliza o forno para guardar um cobertor. Além disso, tal como cá em casa, é possível assistir a irmãos com personalidades muito diferentes. Assim, a série mostra o sucesso social do filho mais velho (que precisou de explicações do mais novo para cadeiras da universidade), a sensibilidade e doçura da filha do meio e a vasta cultura literária (e não só) do mais novo, que foi trocado na maternidade! No final, tudo acaba por se resolver!

Once Upon a Time

once upon a time

Se os contos de fadas já foram lidos e são conhecidos, esta série tem a solução para os entrelaçar uns aos outros. Once Upon a Time mostra os personagens dos contos de fadas que se entreajudam para alcançar um final feliz para todos! Infelizmente a felicidade de uns é a infelicidade de outros e com voltas e reviravoltas, os personagens continuam a tentar. Esta é daquelas séries que tem de ser seguida na íntegra, pois não faz sentido ver apenas alguns episódios. No final de um episódio é sempre possível extrapolar o que poderá acontecer em seguida, já que novos personagens estão sempre a aparecer!

Forever

forever

Foi com esta série que as crianças perceberam que, mesmo que se goste duma série, isso não é o suficiente para que esta dure! Não foi fácil explicar que por vezes as séries são canceladas, mesmo que haja crianças a gostarem delas. Não, não é por falta de histórias (já tinham sido dadas muitas ideias para resolver esse problema!), também não é porque os atores estão cansados ou não gostam uns dos outros ou porque alguns pais escreveram para lá a pedir para acabar! Muitas destas séries precisam de atingir um determinado valor de audiência. Seja como for, perceber que o autor respondeu a questões no Twitter sobre como seria a segunda temporada se algum canal lhe pegasse, deixou um brilho nos olhos de algumas pessoas cá de casa!

Perception

perception

Esta série foi importante para abordar e explicar o tema das doenças mentais e em particular a esquizofrenia. E também para esclarecer que os professores não são todos esquizofrénicos, nem têm necessariamente alucinações e não ajudam a resolver casos para o FBI. Qualquer pessoa pode ter uma doença mental e deve procurar ajuda, pois habitualmente não é como “nos filmes” e há doenças que as limitam muito.

Para rematar, é importante dizer que não vemos televisão horas a fio, mas gostamos muito de partilhar este interesse. Há sempre episódios em atraso, mas durante a semana, em tempo de escola, torna-se impossível ter disponibilidade para tudo. No fundo, recomendo que aproveitem a vossa família, pois o tempo passa a correr.

Sandra Morgado Silva