No último dia da Comic Con Portugal 2017, tivemos o privilégio de conhecer Simon Merrells, graças ao TVSéries|Home of HBO. Para além de termos obtido uma entrevista exclusiva, também estivemos presentes na conferência de imprensa, no painel dedicado a Knightfall e ainda assistimos à antestreia do episódio piloto da série (cuja review podes ler aqui).

Durante a conferência de imprensa, predominou o tema Knightfall, mas sem esquecer a grande série que já terminou, Spartacus.

Simon começou por dizer que o que podemos esperar de Knighfall é o inesperado. Quando questionado sobre se a sua personagem terá uma inclinação de vilão na série, Simon riu-se e disse que pode parecer, por estarmos habituados a vê-lo como vilão. Contudo, pensa que Tancrede (a sua personagem), mostra claramente que esperava ser Mestre, em vez de Landry (Tom Cullen), por ser mais velho e ter mais experiência e isso torna-se uma grande desilusão para ele, mas acaba por controlar esse sentimento. Sem querer dar spoilers, Simon acrescentou que há certas coisas que acontecem a Tancrede, que vão fazer com que tenha ações que podem parecer más, mas que, no fundo, o objetivo dele é proteger a irmandade com lealdade e honra.

Simon foi questionado sobre o que diferencia Knightfall das outras séries históricas dramáticas, respondendo que não se basearam noutras séries que também incluem batalhas, espadas e romance. Aqui têm um forte elemento de fantasia e uma criatividade própria no cenário histórico, onde o elenco marca a principal diferença, pois são um grupo bastante unido, que se dá todo muito bem, conseguindo transmitir isso para o ecrã. Knightfall possui cenas de luta diferentes das que estamos habituados a ver, com câmaras nos capacetes que fazem com que pareça que estamos dentro das batalhas. Simon explicou como estas cenas são feitas, de uma forma muito engraçada, na cadeira onde estava sentado.

Segundo a história do livro de Umberto Eco, O Pêndulo de Foucault, o Santo Graal possui vários pedaços, espalhados por vários locais. Assim, perguntámos a Simon se tal iria acontecer em Knightfall. Simon afirmou que o Santo Graal é um dos elementos de fantasia na história da série e é um símbolo de poder e o poder de ter fé em algo. O que quer que acreditemos que o Santo Graal é, ele vai ter esse poder e quem o tiver na sua posse vai tornar-se poderoso. No entanto, existem surpresas sobre a natureza do Santo Graal, mas nada de spoilers!

Questionado sobre a pressão de uma série histórica (incluindo também Spartacus), ter de seguir os factos históricos à risca, Simon afirmou que existe uma grande diferença entre um documentário e uma série dramática e que isso confere uma certa manobra aos argumentistas quando contam a história. Quanto à preparação física necessária para Knighfall, Simon confessou que foi similar ao que passou em Spartacus, tendo um treino intensivo, nomeadamente com armas ancestrais e andar a cavalo e que isso  também ajudou bastante a entrar na personagem.

Quanto à pergunta sobre Spartacus e a dificuldade de filmar cenas de violência e sexo, Simon confessou que gostou bastante do facto de a personagem dele ter uma história de amor entre duas pessoas, não tendo de participar nas grandes orgias da série. E as cenas de violência são cenas treinadas e ensaiadas até à exaustão, de modo a que ninguém se magoe. Simon acrescentou também que gosta de fazer as suas cenas físicas sem recorrer a duplos, com a excepão de duas cenas em Spartacus, quando um cavalo rebola por cima dele e quando cai do precipício.

Num painel moderado pelo ator português João Paulo Sousa, que incentivou as perguntas da parte dos fãs, Simon falou um pouco das filmagens de Knightfall, na República Checa, e nos dias bastante quentes  que tiveram e que não eram nada agradáveis para usar armaduras e as capas dos templários. Prometeu muitas batalhas durante a temporada, inclusive uma épica, cujas filmagens foram longas e difíceis de realizar. Falou também sobre como o elenco se diverte no set, principalmente antes de uma cena mais séria, de forma a desanuviar. Exceto se for uma cena bastante emocional, que Simon prepara fazendo flexões.

Quanto ao momento mais embaraçoso de que foi vítima nas filmagens, Simon lembrou o que lhe aconteceu na batalha logo do início do episódio piloto, quando caiu no mar com a armadura completa. Como estava muito calor, a primeira sensação dele foi de alívio, mas depois pensou que a armadura ia afogá-lo. Claro que apareceram rapidamente os mergulhadores de serviço e tiraram-no da água; só teve de trocar de roupa e repetir a cena da batalha mais dez vezes.

Para terminar, é de focar que Simon referiu-se a uma 2.ª temporada de Knightfall várias vezes durante o seu discurso. Mesmo sem termos uma confirmação oficial, podemos assumir que, pelo menos, está em desenvolvimento uma continuação da 1.ª temporada e Simon prometeu que irá sugerir filmarem em Portugal.

Ana Velosa