O ator Dominic Purcell esteve presente no 3.ª dia da Comic Con Portugal 2017. É conhecido principalmente por ter sido um dos protagonistas de Prison Break e por papéis recentes em Legends of Tomorrow ou The Flash.

CONFERÊNCIA DE IMPRENSA:

No dia 16, estivemos presentes na conferência com Dominic Purcell, que começou com a parte do seu papel em Legends of Tomorrow, mais concretamente o tempo em que foi o vilão Cronos. Apesar de ter sido uma parte crucial para a evolução de Mick, Dominic não se imagina a regressar à sua pele, pois considera que Mick Rory evoluiu muito e já considera a equipa como família, portanto seria um passo atrás.

Conseguimos perguntar-lhe um pouco sobre a segunda parte da 3.ª temporada de Legends of Tomorrow, mais especificamente sobre a entrada de Constantine. Dominic prometeu-nos que nos vamos rir muito com a interação entre os dois e, em tom de brincadeira, deu o exemplo da bissexualidade de Constantine, que vai criar confusão a Mick. Falou-nos ainda um pouco do ambiente que se vive no set de Legends of Tomorrow que, de acordo com o próprio, é quase uma série de comédia desde a 2.ª temporada e que muito se riem a ler as falas.

Quanto ao Arrowverse, Dominic confessou que tem uma carinho especial por The Flash, pela admiração por Grant Gustin (Barry Allen) e por ter sido a série onde começou neste universo, revelando ainda uma incompreensão por Grant não ter sido convidado para fazer o mesmo papel em Justice League. Dirigimos a conversa para os crossovers e o processo por detrás destes. Dominic adora estes episódios, mas contou-nos o quão trabalhosos são. Nas palavras do próprio, é como gravar um filme gigantesco, mas em vez de terem quatro meses têm que o fazer em quatro semanas. Para terminar este tema, deixou em aberto a possibilidade de, em 2018, existirem três crossovers no Arrowverse.

Quanto a Prison Break, obviamente foi abordada uma possível 6.ª temporada. Dominic confessou que esta está em desenvolvimento, mas foi tudo o que pôde dizer. Abordou-se muito a sua relação com Wentworth Miller (Michael Scofield), tanto dentro do ecrã como fora; como rapidamente a relação fraternal de Michael e Lincoln passou para a vida real. A cena que foi mais difícil de gravar em parceria com ele foi na situação que têm de lutar um contra o outro, enquanto que a cena mais desafiante que gravou sozinho foi a de Lincoln na cadeira elétrica.

Quem se lembra da série de 2002, Jonh Doe? Nós lembrámo-nos e perguntámos-lhe sobre a sua verdadeira identidade. Entre risos, Dominic brincou que seria de certeza um descendente direto de Jesus Cristo ou o próprio.

Já imaginaram The Punisher com Dominic no papel principal? Stan Lee imaginou, uma vez que, de acordo com Dominic, este queria-o para representar o papel há uns anos. No entanto não revelou o motivo pelo qual acabou por não o fazer.

A história de como se tornou um ator é diferente do habitual. Na Austrália tratava e desenhava jardins e um dia foi buscar a namorada a um casting. Quando o viram acharam que era perfeito para um anúncio de cigarros e convenceram-no a fazer a audição. A rir-se, conta que quando conseguiu o papel e recebeu o cheque decidiu que aquela seria a profissão dele.

No que foi uma conferência cheia de risos, foi a nossa vez de brincar com Dominic. Perguntámos-lhe se o tumor de Michael desapareceu da 4.ª temporada para a quinta devido aos efeitos do poço de Lazarus. Dominic riu-se e evitou a questão dizendo que “é televisão, tudo é possível” e passando para a pergunta seguinte, onde revelou que um dia gostaria de interpretar o papel de um Viking.

PAINEL:

Para além de termos estado com Dominic na Conferência de Imprensa, conseguimos também assistir ao painel. Vários temas que foram abordados durante a conferência foram também discutidos desta vez, mas ainda assim trazemo-vos mais algumas curiosidades!

No painel conseguimos saber mais sobre o acidente de Dominic no set de Prison Break; parece que uma barra de ferro lhe caiu em cima da cabeça e a rachou! Foi um acidente muito grave que o impediu de gravar as suas cenas junto dos outros, obrigando-o a encenar sozinho, algo que foi muito desafiante para ele. Num tom mais leve e de brincadeira, confessa que, por ele, Prison Break deveria ter acabado na 2.ª temporada; no entanto, a sua conta bancária não concorda. Para aqueles que se questionavam sobre o regresso de Prison Break após tantos anos, foi quando Wentworth e Dominic se reencontraram em The Flash e começaram a relembrar os velhos tempos que decidiram contactar a Fox para reavivar a série. Acabou este tema referindo que T-Bag é a sua personagem preferida. A seguir a Lincoln, claro!

Quanto a Legends, foi abordada a saída de Martin. De acordo com Dominic, uma vez que a saída foi a pedido do ator, já todos sabiam que eventualmente iria acontecer, então não os afetou muito. No entanto, Mick irá sentir sem dúvida a falta do professor. Quando lhe perguntaram sobre a capitania do Waverider, brincou que se Rory fosse o capitão o primeiro destino seria um bar e o futuro seria de destruição.

Para terminar, ficámos a saber que o mistério da sua voz em Legends foi uma inovação do próprio Dominic que, ao ler o guião, achou que uma personagem dura de roer e com uma ligação tão grande com o fogo precisaria de uma voz à altura!

Raul Araújo