No último dia da Comic Com Portugal 2017, o Séries da TV esteve na companhia de Clark Gregg, o ator que dá vida a Phil Coulson em Agents of Shield.

CONFERÊNCIA DE IMPRENSA:

A conferência começou com a questão de uma colega acerca da eterna dúvida: Será que os Avengers alguma vez saberão que Coulson está vivo? Desde o início da conferência que Clark Gregg se demonstrou bastante acessível e com vontade de responder ao máximo de perguntas que pudesse.

Clark admitiu que não sabe quais são os planos, mas enquanto foi falando sobre o assunto foi desvendando que é possível que comecemos a ver cada vez mais crossovers dentro do universo Marvel.

Sempre foi uma curiosidade nossa e achámos que ia ser vossa também: decidimos perguntar a Clark em relação aos primórdios de Agents of Shield, quando ele estava ainda sob o efeito do projeto Tahiti, se foi uma surpresa para Clark como para nós o significado desse lugar. Clark aproveitou esta oportunidade para nos contar um bocadinho sobre como é que AoS nasceu: parece que estava na Comic-Com San Diego quando recebe uma chamada de Joss Whedon a dizer-lhe que ele ia morrer em The Avengers.

Depois disso, os fãs não deixaram Coulson morrer. E assim Clark recebe mais uma chamada de Joss a dizer que, bom, se calhar Coulson não morreu! E tinham que trabalhar imenso essa história – e que Clark não sabia no início exatamente que ia resultar nisso, mas deu-nos a entender (ainda que não devesse!) que essa história não está terminada de todo!

Ainda acrescentou mais tarde no seguimento de outra questão que as cenas filmadas em que Coulson é reavivado – com o projeto Tahiti – são as cenas que para Clark são mais difíceis de gravar, até porque são extremamente dolorosas e complicadas de entregar para o ecrã.

Clark continuou a falar um pouco sobre a relação de Coulson e May – incluindo fazer a piada de que Coulson beijou May (ainda que fosse um robô) e que independentemente de que robô era, era um robô que beijava muito bem!

Num tom mais sério, Clark falou um pouco sobre o cancelamento que está sempre iminente a pairar sobre AoS, após uma das questões de um dos elementos presentes. Clark diz que é uma ameaça que está sempre permanente, mas tudo o que podem fazer é lutar para que a série fique cada vez melhor; e que acredita que a 5.ª temporada está ainda melhor que as outras e que é realmente tudo o que podem fazer. Nos dias de hoje, o cancelamento é uma possibilidade, mas tudo o que podem fazer é continuar a dar o seu melhor e seguir em frente.

Falámos um pouco da 5.ª temporada, a seguir, e da possibilidade de introduzir o ‘multiverse’ na história. Clark ficou agradado com o comentário e apesar de não saber se vai acontecer ou não, era algo que gostava que acontecesse. Os argumentistas neste momento têm que aprender a lidar com o espaço e o tempo – uma vez que na 5.ª temporada essa é a temática que estão a explorar – mas que a possibilidade de introduzir o ‘multiverse’ é algo que lhe agrada imenso.

Clark falou um bocadinho sobre a sua experiência em realizar e escrever episódios e no calor do momento deixou descair algumas novidades:  parece que no episódio desta semana em que (SPOILER) vamos ficar a saber porque é que Fitz não está com o resto da equipa no futuro, assim como no episódio de janeiro, vão acontecer muitas coisas que vão mudar o rumo da série – aparentemente uma luta muito longa vai acontecer! Regressando ao tema da pergunta, confessa que o nervosismo tomou um pouco conta dele, especialmente porque estaria a dar orientações às pessoas com quem trabalha lado a lado todos os dias, mas que é muito gratificante ter a confiança dos seus colegas e com um sorriso no rosto conclui que foi uma experiência maravilhosa!

A terminar a conferência de imprensa, Clark acresentou que era fã acérrimo da Marvel, que tinha sido uma brilhante oportunidade e desencadear de eventos para construir a sua personagem Phil Coulson. Ainda falou de alguns outros filmes que fez, filmes em que gostaria de poder estar a participar (para o qual foi convidado), mas não pode; acrescentou que se não fosse ator gostaria de estar numa banda!

Para terminar, foi perguntado a Clark se ele estava a gostar de Portugal e assim demos por encerrada a conferência de imprensa, com o ator convidado a elogiar imenso o país, a comida, as pessoas e todo o ambiente desde que tinha chegado!

 

PAINEL:

Sempre num tom alegre e brincalhão, Clark contou-nos a história de como o agente Coulson chegou onde está. Inicialmente era suposto não ter nome e apenas três falas, mas numa espécie de improviso com Robert Downey Jr. acabaram por aumentar-lhe as falas e darem-lhe um nome, Coulson. Sem se dar bem conta, acabou por participar também na sequela de Iron Man, seguido de Thor, até finalmente chegar a Avengers, onde foi morto por Loki. O que ninguém esperava que acontecesse foi um movimento de fãs no Twitter com #CoulsonLives. Este movimento foi o que iniciou a produção de Agents of Shield, que vai chegar dentro de pouco tempo ao centésimo episódio. Não deixa, claro, de sentir saudades de fazer parte dos filmes, mas sente que a série permite muito mais explorar a personagem do que alguma vez seria possível nos filmes.

Gregg revela que a cena de Shield que mais lhe custou a gravar foi quando estavam a salvá-lo da morte, enquanto ele implorava para o deixarem morrer. Saltando de uma cena dolorosa para falar do resto do elenco, conta que Fitz é de longe o mais engraçado no elenco, deixando no ar uma história de uma partida deste a Chloe que não pode revelar.

Sobre a nova temporada foram deixadas algumas pistas sobre o que poderá vir a acontecer, nomeadamente sobre o facto de estarem num local cheio de sangue de Kree e que esse mesmo sangue poderá ou não ser utilizado para reavivar alguém. Outro dos assuntos falados foi a sua relação com May e o quão confusa é, por esta e Coulson serem amigos há muito tempo; no entanto, qualquer coisa que aconteça nesta temporada entre os dois não o surpreenderá. Aquilo que todos os fãs podem esperar e que Clark confirmou é que irá entrar na equipa uma nova personagem com poderes!

Clark sempre foi um fã de comics e, portanto, um dos seus maiores orgulhos foi o dia em que a Marvel decidiu criar uma série de Comics com o agente Coulson como protagonista e era uma miniatura dele num comic.

Numa nota mais séria Clark, considera que o pior ‘vilão’ que enfrentam são as fronteiras entre as empresas, que impede por exemplo que Coulson apareça num episódio com Daredevil ou Iron Fist, que é a sua personagem preferida, apesar de fazerem todos parte do mesmo universo. O seu vilão preferido na série foi na temporada em que lidaram com o Life Model Decoy (LMD).

Clark Gregg esteve sempre bem disposto e disponível para os fãs que estavam presentes e assim deixou uma imagem super agradável!

Joana Henriques Pereira e Raul Araújo