Classificação

8.6
Interpretação
6.8
Argumento
8
Realização
8
Banda Sonora

Contém Spoilers!

Blindspot regressa para um episódio que me deixa com um sabor agridoce, na mesma semana, em que descubro que Blindspot é uma das séries que está em risco de não ser renovada. O episódio em si, é sobre um possível ataque biológico aos escritórios do FBI e não se conseguiu destacar como um episódio bom, ou que ficasse na memória. Algo que sinto que Blindspot consegue fazer regularmente é isso mesmo de tornar cada episódio único, e faltou um pouco isso esta semana.

Jane continua a tentar esconder a sua personalidade de Weller, algo que fica cada vez mais difícil, especialmente com a reinserção de Allie neste episódio. É inclusive Allie quem repara que a antiga Jane teria tentado impedir Kurt de entrar às cegas num edifício para enfrentar uma situação potencialmente perigosa. A participação mais intensa de uma colega de laboratório não contribuiu para fazerem a cena de suspense e emoção, que a situação pedia.

Apesar da narrativa do agente patogénico que estava a ser testado em agentes do FBI não ter sido particularmente interessante ou inovadora, o episódio ainda se assistiu bastante bem, como qualquer episódio desta série. Os avanços no enredo principal foram particularmente intrigantes. Tanto as discussões entre Jane e a sua visão de Roman, o que pode ser quase considerado uma discussão entre o que resta da sua personalidade como Jane, com a sua personalidade como Remy. No entanto, apesar de demonstrar esta irritação com a sua alucinação, continua focada em encontrar Shepard para a poder libertar. A inserção de Boston novamente, mas como um aliado de Jane, revelou-se curiosa no bom sentido. Se considero que Boston não tinha resultado como amigo da equipa a contribuir para o caso, gosto definitivamente mais dele, nesta posição de background a ajudar Remy.

Reade mostra-se sempre relutante em falar com Patterson sobre os seus sentimentos acerca de Zapata, aliás, este jogo do gato e do rato já acontece há alguns episódios, em que Patterson procura falar com Reade sobre este tema, e este recusa ouvir a não ser que sejam notícias sobre a localização de Zapata. Neste episódio Reade finalmente se abre, e revela a insegurança que sente quanto à reciprocidade dos seus sentimentos. Foi bom ver isto a acontecer, apesar de previsível, aconteceu na altura certa e não prolongaram este silêncio dele demasiado tempo. E o que acontece quase imediatamente a seguir e que termina o episódio, é o melhor momento deste. O regresso antecipado de uma personagem e não da maneira esperada.

Este final deixa-nos certamente com vontade de ver o próximo episódio, que espero que não desiluda e trate o tema com brusquidão e rapidez. Talvez o próximo episódio seja aquele que referi a semana passada que estava para acontecer. Um episódio maioritariamente focada na história principal, talvez com uma participação especial de Zapata e Madeline.

O que acharam?

Raul Araújo