Boa noite! Hoje é segunda-feira, desculpem, terça-feira e temos mais uma edição (desta vez atrasada) da nossa rubrica Atores de Primeira à Segunda-feira, desta feita dedicada ao ator David Tennant.

David Tennant é um ator escocês, nascido na cidade de Bathgate, no sul da Escócia, a 18 de abril de 1971.

A paixão pela representação surgiu cedo, quando David tinha ainda cerca de 3 ou 4 anos, impulsionada pelo desejo de vir a interpretar, um dia, o personagem da sua série preferida, Doctor Who. Os fãs do ator saberão, certamente, que esse sonho viria a realizar-se, mas, para já, vamos começar pelo início.

A já longa carreira deste ator, que se prende sobretudo com trabalhos em cinema e televisão, começou quando David tinha ainda 16 anos, num anúncio de prevenção contra o tabagismo.

Depois disso, iniciando em 1988, segue-se uma década (e mais qualquer coisa) recheada de pequenas participações televisivas, sendo a primeira na série Dramarama (1988), e em alguns filmes.

Na década de ’90, no entanto, o ator conseguiu já duas participações de maior relevo em duas séries, sendo a primeira a minissérie Takin’ Over the Asylum (1994) – cujo trailer podem ver abaixo – e a segunda Duck Patrol (1998).

Nesta primeira fase da sua carreira, no cinema, é possível encontrar o ator em Jude (1996), L.A. Without a Map (1998) e The Last September (1999).

Os primeiros anos deste milénio continuaram recheados de diferentes trabalhos, dos quais destacamos o filme Bright Young Things (2003), uma participação em Harry Potter and The Goblet of Fire (2005) e as séries Terri McIntyre (2003), He Knew He Was Right (2004), Blackpool (2004) e Casanova (2005).

Outro formato que encontramos frequentemente no percurso de Tennant são as curtas metragens: Spaces (1993), Bite (1997), Nine 1/2 Minutes (2002), Old Street (2004), Sweetnightgoodheart (2005) e 96 Ways to Say I love You (2011) são apenas algumas.

E é entre cinema, séries, filmes televisivos e curtas que chegamos a 2005, ano em que Tennant concretiza o seu sonho de infância, dando vida ao décimo Doctor Who, personagem que interpretou até 2013.

No entanto, e como seria de esperar pelo que vimos até agora, estes oito anos de Doctor Who não impediram o ator de mergulhar em muitos outros papéis. Durante este período, só no universo das séries, aliás, é possível encontrá-lo em Single Father (2010), Tewnty Twelve (2011-2012) e Spies of Warsaw (2013), entre muitas outras.

Gracepoint (2014) foi outra série que contou com David no elenco principal. O ator, entre 2013 e 2017, participou ainda em Broadchurch e, entre 2015 e 2018, deu vida a outro icónico personagem, o vilão Kilgrave, na série da Netflix em parceria com a Marvel, Jessica Jones.

Mas o percurso deste ator também se rege muito por trabalhos de voz, estando ele presente em diversos projetos de animação, entre os quais Tree Fu Tom (2012-2013), Teenage Mutant Ninja Turtles (2015-2016) e Dragons: Race to the Edge (2015-2018). Mas há muitos mais!

Muitos mais filmes, muitas mais curtas, muitas mais animações, os fãs deste ator não morrem com saudades de o ver.

E por falar em 2018, este ano é possível encontrar o ator na série Good Omens, inspirada no livro de Neil Gaiman; nos filmes Bad Samaritan e Mary Queen of Scots e ainda nas séries animadas Ducktales (desde 2017) e Final Space.

Num futuro próximo, veremos Tennant na série Camping, que se encontra em fase de pós-produção, e no filme Fuddy Meers, tal como o ouviremos em Gen: Lock e no filme Chew.

Apesar de Tennant trabalhar sobretudo em televisão (e cinema), o ator mantém uma relação íntima com o teatro, que considera o seu estado natural em representação.

O ator tem trabalhado com a Royal Shakespeare Company desde 2008, sendo parte do comité de selecção da mesma desde 2012. Com a companhia, Tennant já deu vida a Hamlet, Berowne e Ricardo II de Inglaterra.

Com uma carreira desta dimensão, é natural encontrar um ator talentoso em diversas listas de premiados e nomeados. Dos 27 prémios e das 29 nomeações recebidas pelo ator, vamos destacar o prémio de Special Recognition, por parte da National Television Association, em 2015. E, claro, aqui está a reação de David, que não sabia de nada.

E assim terminamos mais uma rubrica das segundas, hoje excecionamente à terça-feira! Esperamos que tenham gostado e, para a semana, regressem para descobrir um pouco mais sobre outro ator de primeira!