Classificação

8
Interpretação
7.3
Argumento
7.5
Realização
7.5
Banda Sonora

Pensavam que a era dos vampiros já tinha passado com True Blood The Vampire Diaries? Nope. A Sky One pegou na popular saga da autora Deborah Harkness e presenteou-nos com uma série repleta de seres mágicos. E tudo isto com a Universidade de Oxford como cenário. Até aqui nada de muito original, uma história de bruxas e vampiros num cenário histórico e repleto de conhecimento. Contudo, para mim sempre foi mais importante ver o que diferencia umas séries das outras do que aquilo que as aproxima. Se eu achar que tem potencial, soma e segue.

Ora bem, a protagonista Diana Bishop é uma historiadora que está de visita à universidade para dar uma palestra. Esta é tão bem recebida que lhe é quase oferecido o cargo, desde que termine um dos seus trabalhos. Para isso, Diana precisa de um livro que desencadeia toda a história. Ashmole 782, um livro que toda a gente quer mas que apenas lhe aparece a ela. Diana é bruxa, mas, devido à misteriosa morte dos pais, recusa-se a utilizar os seus poderes.

Teresa Palmer como Diana é uma agradável surpresa. O trabalho da atriz nunca me tinha despertado a atenção; demasiado banal. Palmer conseguiu balançar uma personagem com uma personalidade forte com o seu lado mais vulnerável. Contudo, esperava um pouco mais de Diana, uma personalidade mais complexa, mais ambígua. Bom, de qualquer das maneiras, foi apenas o primeiro episódio. Só os próximos episódios continuarão a desvendar os segredos de Diana.

No entanto, foi Matthew Goode a verdadeira estrela do episódio. Goode é o vampiro Matthew, professor de bioquímica na universidade. Teve a dose certa de homem sensual, misterioso, um tanto perigoso e encantador. Diana ficou pelo beicinho. Um dos pontos fortes de toda a saga é a relação entre eles. Os atores terem a química certa é colocar a série no bom caminho.

O episódio teve cenários bonitos e todos numa atmosfera cinzenta e mágica. No entanto, achei que o episódio teve um ritmo muito lento e tudo o que fez foi levantar questões sem levantar um milímetro o véu para o que vem aí. Sim, deixa o espectador muito curioso com o que se avizinha. Qual é a importância do livro e porque aconteceu aquilo quando Diana tocou nas páginas? Pelo interesse dos vampiros no livro, deve conter informação crucial sobre as suas origens e porque deixaram de conseguir reproduzir-se. Mas não são apenas eles que precisam dele. Aparentemente, Diana lançou uma caça ao livro e apenas ela própria consegue encontrá-lo. Porquê?

Apesar de um começo menos forte do que se esperava, A Discovery of Witches é uma série que promete. Tem história e mistério e um bom elenco. Veremos o que os próximos sete episódios nos mostram.

Maria Sofia Santos