Classificação

10
Interpretação
9.7
Argumento
9.7
Realização
9.7
Banda Sonora

Este artigo contém spoilers!

Lembram-se daquele discurso do Ford no final da 1.ª temporada, antes de ser morto por Dolores, onde ele diz que tem estado atento e existe um anfitrião acordado? Pois bem, na altura, tudo indicava que Ford estava a falar de Dolores, mas neste episódio descobrimos que, na verdade, estava a falar de Akecheta. Este, até então personagem secundário, é o homem que conversa com Logan quando eles tentam vender a ideia do parque à Delos e é o líder da nação fantasma.

Mas vamos por partes…

Akecheta vivia uma narrativa onde fazia parte de uma aldeia de índios. Era um homem trabalhador e muito apaixonado por Kohana, a sua mulher. Numa das suas várias vivências, Akecheta chega a Sweet Water, onde encontra os anfitriões no chão desativados e Arnold morto no chão após ordenar a Dolores que o matasse. Ele anda e descobre o labirinto que o deixa a questionar a realidade. Só que, nesta altura, os convidados do parque reclamavam porque os anfitriões eram demasiado calmos, ou seja, não lhes davam motivação para os matarem, o que tornava incomodativo para os convidados matar só por matar. Por isto, eles decidiram mudar algumas narrativas e Akecheta foi reprogramado para ser mais violento e fazer parte de um grupo de selvagens, a nação fantasma. Assim, tornou-se no que conhecemos hoje até que, certo dia, ele regressa à sua aldeia, da narrativa antiga, e vê Kohana. Ele sente que conhece aquela mulher e de noite rapta-a e leva-a com ele. Na manhã seguinte, os cientistas da Delos levam Kohana porque ela ultrapassou o limite que pode andar pelo parque. Na mesma noite, ele regressa à aldeia e percebe que Kohana foi substituída por outro anfitrião. Acorda no laboratório da Delos e encontra o corpo vazia da sua amada numa cena brutal. Inclusive, ele descobre que o filho de uma senhora também foi trocado e leva-lhe um fio de cabelo dele e a reação da senhora ao perceber a verdade é bastante tocante.

A partir daí passam-se dez anos em que Akecheta vagueia pelo parque em buscas de respostas. Ele não quer morrer para não ser reprogramado. O seu objetivo é descobrir tudo o que se passa e alertar os outros anfitriões. Foi ele quem colocou no escalpe dos anfitriões o labirinto para que os cientistas não descobrissem e eles pudessem saber a verdade. Ele tenta mesmo salvar Maeve porque a filha dele o tinha ajudado um dia e então ele deu-lhe uma pedra com o labirinto desenhado. Maeve achou que ele queria matá-las, quando, na verdade, ele apenas as queria salvar. Isso explica o labirinto desenhado no chão em frente à casa de Maeve.

A dada altura da sua jornada, Akecheta encontra Logan desidratado e queimado por causa do sol. Logan, visivelmente já afetado por causa das condições em que está, murmura umas palavras a Akecheta em que lhe diz que aquele não é o mundo real e que existe uma porta. Estas palavras nunca mais sairiam da mente de Akecheta. Mais tarde, Ford encontra-se com ele e Akecheta conta-lhe tudo o que fez.  Ford revela que tem vindo a observá-lo e tem um momento filosófico interessante quando pede a Akecheta que apenas comece a sua revolução quando o ceifador vier atrás dele. Ora, o ceifador é Dolores, pois Akecheta trata-a assim, dizendo que o ceifador matou o criador, neste caso Arnold. Após Dolores matar Ford, Akecheta começou então a sua revolução, que vemos desde o início da temporada. Ele procura anfitriões acordados e salva os humanos como vimos no último episódio, quando salva a filha de Maeve.

Tudo isto é relatado pelo próprio Akecheta à filha de Maeve, mas, como descobrimos no final do episódio, ele não está a falar com a filha, mas sim com a própria Maeve através do véu dos anfitriões.

Este episódio foi fenomenal e explicou muitas pontas soltas da 1.ª temporada. A história de Akecheta é pesada, mas certamente mostra-nos que qualquer personagem pode ter uma importância impensável na história. Akecheta foi o primeiro anfitrião a acordar e promete ser uma figura crucial no futuro da série.

Uma nota importante vai para William, que está vivo. A nação fantasma trata dele até que chega Emily, que pede à nação fantasma que a deixe levar o seu pai. Eles deixam com a promessa dela de que ele vai sofrer por todo o mal que tem causado. Isto é importante porque o próximo episódio vai ser sobre William e promete decifrar muitas das teorias que têm vindo a ser exploradas ao longo da temporada.

E, para terminar, para a malta do rock como eu, não percam a música dos Nirvana, Heart Shaped Box, pelas mãos do pianista Ramin Djawadi. Absolutamente genial!

Carlos Real