Classificação

8
Interpretação
8.2
Argumento
9.5
Realização
8.8
Banda Sonora

“This Big, Amazing, Beautiful Life”, o penúltimo episódio desta temporada de This Is Us, foi centrado em Deja, na sua longa e dura jornada até aos dias de hoje, uma jornada cheia de obstáculos e responsabilidades que nenhuma criança deveria ter de enfrentar. Ao longo da passagem pela história da vida de Deja, a realização não perdeu uma única oportunidade para “construir” pontes face às vivências da família Pearson, transmitindo fortes mensagens de igualdade e plenas de humanidade.

As hostilidades foram abertas com uma brilhante cena, capaz de condensar o ciclo de vida em breves frames: oscilando entre os partos que trouxeram ao mundo os protagonistas da série, o momento de superação das mamãs Rebecca, Beth, da mãe biológica de Randall e ligando tudo desde logo a Shauna, a mãe da personagem central deste episódio. Poucos momentos depois, a perda, encerrando o ciclo de vida e desequilibrando a sustentabilidade assegurada pelos alicerces de uma vida.

A mãe de Deja, Shauna, não queria ser mãe, era apenas uma jovem de 19 anos quando um imprevisto mal calculado lhe colocou uma filha nos braços. O nascimento de Deja não a amadureceu, mas a situação manteve-se equilibrada enquanto a sua avó esteve por perto, zelando pelo bem estar de Deja. E foi o momento do seu desaparecimento que marcou o início de uma dura jornada para Deja. Não foram poucas as vezes em que o papel de mãe e filha se confundiam. Shauna, apesar do notório amor que sentia pela filha, não tinha as ideias bem arrumadas na sua cabeça e más influências e companhias erradas sempre a desviaram do caminho correcto, com Deja como principal prejudicada.

A conduta da mãe de Deja rapidamente deixou de ser indiferente aos serviços sociais e Deja começou então a ser privada da companhia da mãe e a conviver em ambientes desconhecidos, inclusive com responsáveis de acolhimento que não eram melhores que a sua mãe. A vida ensinou-a a ser resiliente e foi a sua força que tornou as várias tentativas de vida com a mãe resultarem por curtos períodos. Mas Shauna continuava a não conseguir fugir das más companhias e as duas últimas vezes terão sido realmente impactantes. Uma, ainda que sem culpa direta de Shauna, conduziu à sua prisão, circunstâncias que levaram Deja até à casa da sua nova família, junto de Randall, Beth e as suas novas irmãs, e a outra provocando que fossem despejadas, originando o regresso à casa de onde provavelmente nunca deveria ter saído.

Foi precisamente nesse momento em que Randall e Beth acolheram Deja e Shauna que levou esta a tomar consciência e a fazer o derradeiro sacrifício, abdicar da presença da filha, entregando-a, para já, a uma vida que com certeza é melhor, mais segura e mais estável para ela.

No fim, temos pela boca de Deja a confirmação do significado das mensagens transmitidas pela realização ao longo do episódio ao associarem memórias da família Pearson às memórias de infância de Deja, começando com os partos e desde a música de embalar ouvida pela bebé Deja, mas também pelo pequeno Jack e o seu irmão, até à ida de Deja às urgências do hospital ligada a uma passagem da jovem Kate pelo hospital, passando pelos problemas de agressividade que tanto Deja quanto Jack enfrentaram. Independentemente das origens, num certo momento todos partilhamos as mesmas mágoas, as mesmas dúvidas, as mesmas incertezas, as mesmas alegrias e, no fim do dia, todos vamos dormir e partilhamos a mesma lua.

Na minha opinião foi arriscado centrar todo um episódio numa personagem que, já sendo familiar, não tem ainda o impacto de um dos Pearsons. Realmente acho que se fez sentir a presença deles, mas as fortes mensagens, as duras lições e o modo como foram exemplarmente transmitidas, compensaram e deram origem a um episódio bem interessante. Resta-nos agora esperar pela próximo semana, a semana em que teremos de nos despedir desta temporada de This Is Us com o grande dia de Kate e Toby, o que, por si só, promete trazer um episódio emocionante.

André Borrego

[themoneytizer id=”16130-16″]