Classificação

7
INTERPRETAÇÃO
6.7
ARGUMENTO
6.8
REALIZAÇÃO
7
BANDA SONORA

Contém Spoilers!

Estamos no penúltimo episódio desta temporada e as cartas deixadas por Carl ainda continuam bem presentes na série.

O episódio começa com Rick a ler finalmente a carta deixada pelo filho, onde Carl o faz relembrar o passado, antes do apocalipse, as caminhadas que os dois faziam, as pizzas de sextas-feiras à noite… Carl era um miúdo que cresceu num mundo aparentemente em futuro, mas na sua visão existia um futuro, a paz entre os saviors e o grupo de Rick era possível, mas será que Rick irá cumprir a vontade do filho?

Por outro lado, temos aquele $%#&”%#$ do Eugene. Se há personagem que sempre me meteu raiva nesta série foi Eugene e confesso que já me enganou por diversas vezes. No entanto, este fingido não passa dum medricas, pobre e mal-agradecido! Pois é, ainda havia esperanças de que ele ajudasse a salvar o grupo de Rick, mas depois deste episódio a única esperança é que Eugene tenha um final lento, sofrido e às mãos de Rosita, de preferência!

Já no Santuário, temos a continuação curta do reinado de Simon. Ele que pensa que Negan morreu, tem como plano matar todos os habitantes de Hilltop, mas é surpreendido pelo aparecimento de Negan, que diz desculpar Simon e dar-lhe uma segunda oportunidade.

E, de facto, Simon vê com bons olhos esta segunda oportunidade, como uma forma de se livrar de Negan, mas os seus planos saem furados. Dwight faz, uma vez mais, jogo duplo, afirmando a Simon estar do seu lado, mas contando tudo a Negan, que prontamente se livra de Simon e torna Dwight o seu braço direito durante uns cinco minutos, até o confrontar com o que realmente aconteceu quando os saviors foram atacados a caminho de Alexandria.

Mais uma vez, este episódio não nos trouxe assim nada de especial à série, apenas a morte já esperada de Simon, a descoberta da traição de Dwight e a confirmação da guerra. Resta-nos aguardar pelo próximo episódio, que será o último da temporada.

João Montez