Classificação

9.7
Interpretação
9.7
Argumento
9.7
Realização
9.7
Banda Sonora

Este artigo contém spoilers!

“Com duas serpentes no jardim, o Éden nunca teve hipótese”

Foi assim que, numa conversa com Diyoza, Octavia definiu a temporada. O poder corrompe e o gosto pelo poder é um sabor perigoso que leva à destruição do bem maior. Neste episódio, todos tentaram arranjar maneira de salvar aquele pequeno local de vida humana, mas não foi possível. Madi assumiu o papel de comandante e restabeleceu a ordem, conseguindo inclusive o apoio de Octavia. Ela quis vingar-se dos que lhe fizeram mal, mas Bellamy explicou-lhe que isso é o que leva muitas vezes a uma destruição maior.

Do outro lado, McCreary quer um piloto para lançar a nave, mas nisso Clarke aparece para salvar toda a gente. McCreary usa a última carta e consegue lançar os mísseis, o que levará à destruição do único espaço habitável. Clarke mata McCreary, mas o grupo fica agora com um problema maior. Para além dos mísseis, Murphy, Gaia e Kane estão gravemente feridos. Não existem condições para os tratar e há pouca hipótese de sobreviverem. É aí que Bellamy tem uma ideia: o grupo vai “dormir” por dez anos e esperar que a terra esteja novamente com condições de vida.

Clarke e Bellamy são os primeiros a acordar do sono de criogenização. São recebidos por uma figura nova, um rapaz de seu nome Jordan. Nisso, Jordan revela ser filho de Monty e Harper, que não entraram no sono, mas não se passaram dez anos e sim 125. Uma vez que a terra não apresentava condições de evolução, então não valia a pena acordarem-nos. Monty, que entretanto já morrera, assim como Harper, deixaram vídeos e instruções ao filho para, mal houvesse um sinal de esperança, acordar os dois. O sinal é terem encontrado um planeta com dois sóis e habitável.

Este final de temporada foi excelente. A série foi crescendo e deixa água na boca para os próximos capítulos. Um novo planeta com as mesmas pessoas. Será que finalmente vão conseguir viver em sociedade? E será que este planeta está habitado? São algumas das muitas perguntas que todos teremos. Um bem haja a quem seguiu estas reviews.

“May we meet again”

Carlos Real