Classificação

9.2
Interpretação
8.4
Argumento
8.1
Realização
8
Banda Sonora

CONTÉM SPOILERS

Depois de um episódio de quebrar o coração, as nossas sestras choram a sua mais recente perda. No entanto, Helena foi capturada e Sarah precisa de arranjar um plano para a tirar das garras de Westmoreland e Coady. Somos também levados para o passado, onde uma jovem Helena tenta saciar a sua gula no convento onde foi criada. No entanto, presencia algo no lugar errado na hora errada, sendo maltratada por uma das freiras, levando-a a ficar trancada num quarto escuro. Mais tarde, Tomas recruta-a e torna-a na assassina que todos nós conhecemos. O plano da Neolution sofre um novo golpe assim que os nossos heróis se aproximam do desfecho e, be careful, BABIES ARE COMING!

One Fettered Slave aproxima-nos mais de Helena. A sestra andou pelas vielas da amargura e, apresar de neste episódio não ser exceção, os eventos retratados tornam-se ainda mais poderosos ao conferir destaque a uma das personagens mais importantes de toda a narrativa de Orphan Black. Há momentos de grande tensão com que facilmente nos envolvemos emocionalmente: desde o funeral de S, passando pelo passado de Helena, até aos momentos terrivelmente stressantes do laboratório.

Rachel também parece estar cada vez mais enquadrada no seu meio. Depois de ter salvado Kira, a clone mais “maligna” de todas decide que está na altura de ser útil para as suas irmãs, ainda que permaneça com a sua postura misteriosa e autoritária. Destaco também que a ciência finalmente chega ao seu limite. Já não há mais justificações necessárias a dar. Esta temporada pecou precisamente por tentar fugir um pouco de toda a temática credível da clonagem, mas não deixa de ter os seus artífices para nos deixar entusiasmados (e de certa forma preocupados) com todas estas personagens maravilhosas.

Westmoreland está a ficar sem controlo e a sua impulsividade cega-o perante o seu objetivo final. O plano de Sarah é um “cavalo de Tróia” que atinge o vilão mesmo no coração do seu palácio. Tatiana Maslany é aquela força da natureza que, mesmo nas situações mais difíceis em que se encontram as suas personagens, consegue revelar um raio de sol para que nos sintamos confortáveis e esperançosos por um final feliz.

Por cá, vou preparando o pacote de lenços porque, apesar das suas falhas, uma das minhas séries favoritas vai-se despedir. Orphan Black não é apenas uma série de ficção científica, Orphan Black é um movimento, um canto de louvor ao feminismo, um apelo à diversidade e tolerância, um cantinho de esperança que diz de caras à humanidade que se deve unir e aceitar as suas diferenças porque elas tornam-nos únicos.

Ainda que com um cliffhanger maroto, One Fettered Slave é um excelente capítulo onde, mais uma vez, Tatiana Maslany se torna o epicentro de algo mágico e empolgante.

Jorge Lestre