Classificação

7.5
Interpretação
8
Argumento
8.5
Realização
8
Banda Sonora

Contém Spoilers!

Numa semana que está repleta do regresso de super-heróis como The Flash e Supergirl, não podia faltar a nossa equipa de lendas, que regressam à ação no ponto em que terminou a temporada passada, em que para salvarem o mundo tiveram que destruir o tempo, regressando a casa para encontrarem dinossauros a andar nas ruas.

Neste ponto conhecemos o novo Rip, que de fato e com um novo estilo aparece quase sem ligar à sua antiga equipa, sendo um bocado arrogante e criticando o estado em que deixaram o tempo, contando-lhes o que passou os últimos tempos a fazer, a criar uma versão nova e melhorada dos Time Masters, a que dá o nome de Time Bureau, constituída por pessoas que considera mais eficientes e menos problemáticas que a equipa liderada por Sara.

Assim, a equipa regressa ao seu tempo, com o assunto dos dinossauros já regularizado, e tentam levar vidas normais. Sara torna-se assistente numa loja, onde vive frustrada e perseguida pelo seu chefe; no entanto, num ato de um exagero leviano que já se tornou típico nesta série, Sara entretinha-se durante o trabalho a atirar as facas da loja contra um placard. Ray é agora um empregado de uma empresa responsável por uma aplicação de encontros, onde lhe cortam as asas à imaginação. Jefferson desistiu da faculdade enquanto que Martin vive com a sua filha, que está grávida. Nate continua a trabalhar como herói, com o aparecimento de Kid Flash (Wally) para dar ênfase a isso; no entanto, apesar de feliz com a vida que segue, foi deixado por Amaya, que regressou à sua timeline. Apesar de alguns estarem minimamente satisfeitos, todos sentem saudades do seu tempo a bordo do Waverider, mesmo Mick que, de todos, é o que aparenta ter a melhor adaptação, passando umas longas e desejadas férias em Aruba, onde é incomodado pela presença de Júlio César.

Esta anomalia temporal não detetada pelo Time Bureau dá a Sara a desculpa de que precisava para reunir a equipa e visitar Rip – que continua a negar que precisa de ajuda – e leva-os a dar uma olhadela pelas instalações para verem o quão organizados são. Só que a aposta sai-lhe cara quando veem o Waverider e quando Mick não consegue trazer o Júlio César certo (por coincidência, estava a haver uma festa da faculdade com a temática de Roma) decidem raptar a nave e resolver o problema sozinhos. Gideon – que ao contrário de Rip – demonstra algum prazer em voltar a ver os seus companheiros leva-os até Arruba, onde Sara derrota César num mano-a-mano e levam-no de regresso a Roma e ao ano a que ele pertence. No entanto, Nate comete um pequeno erro e deixa-o roubar  um caderno com informações sobre o seu futuro, nomeadamente a traição de Brutus, o que leva a que, no presente, os Estados Unidos sejam uma terra completamente diferente que foi conquistada pelos romanos há muitos anos, uma possibilidade que era engraçado ter visto como seria explorada.

Apenas se tornou mais uma oportunidade para Rip lhes dar na cabeça e mostrar como se resolve o assunto. No entanto, uma das suas colaboradoras é raptada por César e veem-se forçados a bater em retirada e a deixar que a equipa de Sara entre em ação e, com sucesso, resgatam a agente que estava refém e conseguem subjugar César para lhe retirar a memória. Acabando por salvar o dia, Rip mostra o primeiro acesso de sentimentalismo face à sua antiga equipa e deixa-os continuar com o Waverider. 

Foi bom rever esta equipa no ecrã. Trata-se sempre de um episódio com um humor leve e fácil de ver, mas nem tudo é bom. O que já andavam a corrigir na temporada passada parece ter ficado esquecido neste início. O humor que tentam impor na série sai muito forçado, com algumas piadas fáceis e situações demasiado exageradas, como por exemplo a de Sara, que já referi. Não me interpretem mal, às vezes rio-me e gosto, mas em demasia acaba por tirar um pouco do potencial da série. Neste aspeto de ter um humor leve, mas mais bem conseguido, na minha opinião, The Flash fornece um bom exemplo de como o fazer. A receção de Rip à sua antiga equipa também me pareceu estranha, mas isso poderá ser explicado num plot posterior. Ainda assim estou contente que Legends of Tomorrow tenha regressado e na próxima semana continuaremos a seguir as suas aventuras. O que acharam?

Raul Araújo