Classificação

6.5
Interpretação
4.8
Argumento
6.2
Realização
6.0
Banda Sonora

Atenção: esta review contém spoilers!

Esta semana, o canal americano HBO deu-nos a conhecer o seu mais recente projeto, Here and Now. A série, criada por Alan Ball, foca-se numa família multirracial contemporânea, constituída pelo marido, mulher, três filhos adotivos e uma filha biológica. Esta família vê os seus laços a serem testados quando um dos filhos começa a ver coisas que o resto não vê.

Neste primeiro episódio, intitulado Eleven Eleven, somos apresentados à dinâmica desta família:

  • Audrey Bayer (Holly Hunter) é a matriarca e exerce advocacia;
  • Greg Boatwright (Tim Robbins), marido de Audrey, é professor de filosofia;
  • Ashley Collins (interpretada por Jerrika Hinton, conhecida pela maioria pelo seu papel enquanto Stephanie Edwards em Grey’s Anatomy), filha adotiva do casal, originária da Libéria, é a proprietária de um website de roupa e acessórios;
  • Duc Bayer-Boatwright (Raymond Lee) é outro dos filhos adotivos de Audrey e Greg. Sendo originário do Vietname, foi adotado quando tinha apenas três anos de idade e é agora um life coach;
  • Ramon Bayer-Boatwright (Daniel Zovatto) é um universitário que estuda design de vídeojogos e foi adotado de um orfanato quando tinha apenas 18 meses;
  • Por fim, Kristen Bayer-Boatwright (Sosie Bacon), a única filha biológica do casal, estuda no secundário.

Muito honestamente, a partir deste episódio piloto é difícil perceber sobre o que é a série. Apesar de pertencerem a uma só família, cada uma destas personagens parece puxar-nos para um lado diferente. O pior é que as personagens em si não são assim tão interessantes quanto isso e o mesmo se pode dizer em relação à história em questão.

Se tivesse que adivinhar qual o objetivo da série, após umas horas de pesquisa extensiva sobre Here and Now, diria que esta pretende, de certa forma, abordar a ideia do multiculturalismo no contexto sociopolítico americano dos dias de hoje através do ponto de vista de uma família multirracial. A verdade é que Here and Now tem os elementos necessários para lançar esta conversa. Afinal, o facto de Greg ser um republicano e a diversidade cultural dos seus filhos adotivos certamente podem levar a que haja uma grande quantidade de diferentes opiniões e pontos de vista sobre a realidade americana. Mas, pelo menos neste primeiro episódio, Here and Now não fez um bom trabalho a juntar estas peças.

Infelizmente, uma série que podia ter algum interesse acabou por ser maioritariamente confusa e enfadonha. O objetivo de Here and Now perde-se facilmente (ou, melhor, nem se encontra). Apesar de isto poder mudar nos próximos episódios, não me parece que irei continuar a acompanhar esta série.

Inês Salvado