Classificação

7.5
Interpretação
8
Argumento
8.3
Realização
7.8
Banda Sonora

[Contém spoilers]

Double Red Hood

Roy Harper está de volta! Para além disso, Ricardo Diaz está on fire, temos uma homenagem a um popular arco dos comics do Green Arrow, Black Siren dá uns passitos numa direção mais promissora e, mesmo no fim, os regressos não terminaram com Roy e há um outro grupo que também está de volta a Star City.

É verdade, o que muitos fãs de Arrow desejavam aconteceu esta semana: Roy Harper aka Arsenal e o original dono do capuz vermelho regressou a Star City. Se bem se lembram, Roy anda fugido desde a 3.ª temporada, quando decidiu “sacrificar-se” por Oliver e assumir a identidade de Arrow. Depois disso já antes a personagem tinha revisitado a cidade quando o Calculator o estava a chantagear. No entanto, este é um regresso agridoce. As más notícias são que Colton Haynes foi basicamente desperdiçado neste episódio e teve direito a pouco mais do que cinco minutos de ecrã. Quanto aos pontos positivos, em termos da personagem de Roy Harper, ela enquadrou-se bastante bem na história contada e abre as portas para futuros com várias direções e, como no próximo episódio Arsenal voltará a estar presente, ainda há oportunidade de o regresso do ator ser redimido.

Um bom avanço desta semana foi o de Ricardo Diaz. Se Colton foi desperdiçado, já Kirk Acevedo começa finalmente a ser aproveitado e um vilão decente inicia a sua formação. A questão fundamental que se põe é se ainda resta tempo suficiente na temporada para desenvolver todo o mistério do verdadeiro vilão da temporada?

Para quem conhece a história “Broken” dos comics do Green Arrow na era dos New 52 deve ter-se apercebido da inspiração do episódio desta semana nesse enredo, principalmente devido à cena no hotel (no episódio vemos Roy a ser espancado e nos comics Diggle é lançado pela janela). Na história original, Diaz rapta Diggle e tenta matá-lo de forma a humilhar o Green Arrow.

Black Siren decide mais uma vez dar uma reviravolta à sua vida e assumir a identidade de Laurel da Terra-1. Foi uma jogada interessante e que poderia ajudar a amenizar a incorporação desta Laurel a longo prazo na série. As ligações do regresso da Black Canary com o julgamento de Oliver pela identidade do vigilante Green Arrow foi outro aspeto que acabou por ser bem explorado. No entanto, dois pontos principais se destacam em relação a esta Laurel:

  • primeiro, enquanto não revelarem que Vincent sobreviveu ao seu ataque, eu continuo do lado de Dinah e nunca a vou perdoar.
  • segundo, achei desnecessária a mensagem que ela recebe no final de Diaz, pois manter o mistério acho que teria funcionado melhor. Além disso, a não ser que ela esteja a fazer de agente tripla e no final ajude a Team Arrow, é bom que ou redimem de vez a personagem ou se livrem dela.

Quanto às considerações finais: o grupo/família que Diaz está a montar parece ter uma boa união que poderá demonstrar-se problemática, principalmente num momento em que as equipas dos heróis estão fraturadas. Uma dúvida que ficou a pairar é a de, se Diaz sabia que a Team Arrow o ia atacar, qual era o plano dele ao deixarem-nos salvar Roy? E Anatoly ter sido preso também fazia parte do plano? A polícia de Star City parece ser pior que as baratas, mesmo depois da “desparasitação” anterior continuam a haver dúzias de corruptos. Por fim, acham que Thea deve fugir com Roy? Eu cá voto para que isso aconteça no final deste arco. Os produtores andam há que tempos sem saber o que fazer com a personagem e esse até seria um bom destino para ela.

Com o regresso da Liga dos Assassinos à cidade, o próximo episódio, “The Thanatos Guild”, marca ainda o regresso de Nyssa Al Guhl, que irá avisar Thea do alvo nas suas costas. Entusiasmados com este retorno da League of Assassins? Até lá, salvem as vossas cidades!

Emanuel Candeias

[themoneytizer id=”16130-16″]