O BuzzFedd fez uma lista com as 23 lições que Grey’s Anatomy ensinou aos espectadores. Em tantas temporadas não sabemos como é que eles conseguiram escolher apenas 23, mas aqui fica a lista:

1. Não sejam demasiado cautelosos: “A certa altura, temos de tomar uma decisão. Os limites não deixam as outras pessoas de fora, mantêm-nos lá dentro. A vida é complicada. É assim que somos. Portanto podemos passar a vida a estabelecer limites ou podemos levar a vida a atravessá-los.” – Meredith Grey

2. Nunca saberemos se não tentarmos: “O pássaro madrugador apanha a minhoca; uma dor forte apanhada cedo salva nove. Quem hesita, está perdido. Podemos fingir que não no-lo disseram. Todos ouvimos os provérbios, ouvimos os filósofos, ouvimos os nossos avós a avisarem-nos sobre tempo desperdiçado, ouvimos o raio dos poetas com uma urgência em aproveitar o momento. Às vezes temos de ver por nós próprios. Temos de cometer os nossos próprios erros. Temos de aprender as nossas próprias lições. Temos de varrer a possibilidade do hoje para debaixo do tapete do amanhã até não podermos mais, até finalmente entendermos por nós próprios… que saber é melhor que indagar, que acordar é melhor que adormecer, e que mesmo o maior falhanço e que mesmo o mais intratável dos erros bate de longe o facto de nunca tentarmos” –  Meredith Grey

3. Os segredos não podem ser mantidos para sempre: “Aquilo de que as pessoas se esquecem é o quão bem sabe quando finalmente libertamos os nossos segredos. Quer sejam bons ou maus, ao menos estão lá fora, a descoberto, gostando-se ou não. E uma vez segredos a descoberto, não temos de nos esconder mais por detrás deles. O problema com os segredos é que se pensa que se tem o controlo, quando não se tem”. – Meredith

4. As coisas NÃO são melhores com moderação: Há qualquer coisa acerca da possibilidade de mais – mais tequila, mais amor, mais tudo. Mais é melhor”. – Meredith

5. Crescer é inevitável: “Crescemos… É uma pena. É terrível ser-se adulto, mas o carrossel nunca pára de girar. Não se pode sair”. – Ellis

6. Não afrontem o intocável: “De uma forma ou de outra, o nosso karma vai levar-nos a encarar-nos a nós mesmos. Podemos olhar o nosso karma nos olhos ou podemos esperar que se esconda. De uma forma ou de outra, o nosso karma vai sempre encontrar-nos…. Não importa o quão arduamente tentemos, não podemos escapar ao nosso karma. Segue-nos até casa. Suponho que não nos possamos realmente queixar do karma. Não é injusto. Não é inesperado. É apenas o resultado. E mesmo quando estamos prestes a fazer algo que sabemos que provavelmente tentará o karma a morder-nos no rabo, sem ser preciso dizer mais, fazemos na mesma”. – George

7. Toda a gente precisa de alguém: “No final do dia, quando se resume a isso, tudo o que realmente queremos é estar próximos de alguém”. – Meredith

8. Às vezes a vida pode ser uma cabra: “A vida é curta, George. A vida é curta e durante muito do tempo é uma porcaria”. – Izzie

9. Esperem sempre o inesperável (e retirem prazer disso): “Todos nós pensamos que vamos ser fantásticos. E sentimo-nos um pouco roubados quando as nossas expectativas não são alcançadas. Mas às vezes as nossas expectativas oferecem-nos pouco. Às vezes, o esperado simplesmente perde a cor em comparação com o inesperado. Temos de nos perguntar porque nos agarramos às nossas expectativas, porque o esperado é o que nos mantém firmes, de pé, calmos. O esperado é apenas o início. O inesperado é o que muda as nossas vidas”. – Meredith

10. Nunca deixem de sonhar: “A certa altura, talvez aceitemos que o sonho se tornou num pesadelo. Dizemos a nós próprios que a realidade é melhor. Convencemo-nos a nós próprios que é melhor que não sonhemos de todo. Os mais fortes de nós, os mais determinados, agarram-se aos sonhos ou damos por nós a encarar um novo sonho que nunca considerámos. Acordamos para, contra todas as probabilidades, sermos capazes de nos sentirmos esperançosos. E, se formos sortudos, percebemos que no final de contas, na realidade da vida, o verdadeiro sonho é ser capaz de sonhar” – Meredith

11. Deixem a pena que têm por vós próprios à porta: “Todos temos problemas. As mães morrem e os pais bebem tanto que nem sabem em que ano estão e as irmãs… eu nem sabia que havia uma Meredith Grey há uns meses atrás. E ela nem sequer quer falar comigo. Eu não quero estar aqui. Sabes, eu dava tudo para não estar aqui… para ter a minha vida a correr da forma que tinha planeado, para ter tempo para perguntar, ‘E eu?’ Por isso, mudas. Ultrapassas isso. Estou aqui agora e fizeste um parto de um bebé hoje. Por isso, pára de sentir pena de ti próprio”. – Lexie

12. Toda a gente merece a verdade: A verdade é dolorosa. Lá no fundo, ninguém a quer ouvir, especialmente quando nos atinge tão de próximo. Às vezes dizemos a verdade porque a verdade é tudo o que temos para dar. Às vezes dizemos a verdade porque temos de a ouvir alto e bom som para a ouvirmos realmente. E às vezes dizemos-lhes porque lhes devemos pelo menos isso”. – Meredith

13. Não tenham medo de ter medo: “É bom estar-se assustado. Significa que ainda se tem algo a perder”. – Richard

14. A vida é o que acontece quando se está ocupado a fazer outros planos: “Nunca sabemos que o maior dia da nossa vida vai ser o mais grandioso. Os dias que pensamos que vão ser os maiores, nunca são tão grandes como fazemos deles na nossa cabeça. São os dias normais, aqueles que começam como sendo normais. Esses são os dias que acabam por ser os maiores”. – Izzie

15. Nunca sabemos o que aí vem: “Quando algo começa, geralmente não temos ideia de como vai acabar. A casa que vais vender torna-se o teu lar. Os colegas de casa que fomos forçados a aceitar tornam-se a nossa família. E o caso de uma noite que estamos determinados a esquecer torna-se o amor da nossa vida”. – Meredith

16. Se dermos uma oportunidade às pessoas, elas podem surpreender-nos: “Eu fui criada para ser ‘um bom homem’ numa tempestade. Criada para amar o meu país, a minha família, para proteger as coisas que amo. Quando o meu pai, o Coronel Daniel Robbins do Corpo de Fuzileiros da Marinha dos Estados Unidos, soube que eu era lésbica, disse que só tinha uma pergunta. Eu estava preparada para ‘Quão rápido podes sair do raio da minha casa?’ Mas em vez disso, foi ‘Ainda és a pessoa que te criei para seres?’ O meu pai acreditava no país da maneira que o senhor acredita em Deus. E o meu pai não é homem de se vergar, mas fê-lo por mim, porque sou filha dele. Sou ‘um bom homem’ numa tempestade. – Arizona

17. Ninguém é perfeito: “Sou um ser humano. Cometo erros. Tenho defeitos. Todos temos”. – Derek

18. Quando estamos assoberbados, devemos dar um passo de cada vez: Pôr simplesmente um pé à frente do outro. Simplesmente conseguir ultrapassar o dia. – Meredith

19. No final, as coisas resultam sempre: “Justamente quando pensamos que entendemos as coisas, o universo atira-nos uma bola difícil de apanhar. Por isso temos de improvisar. Encontramos felicidade em lugares inesperados. Encontramos o nosso caminho de volta para as coisas que mais importam. O universo é estranho a esse ponto; por vezes tem uma forma de se certificar de que acabamos exactamente aonde pertencemos”. – Meredith

20. Não há amor como o amor parental: “Pensa-se que o amor verdadeiro é a única coisa que pode destruir o nosso coração, que nos tirará a vida e a iluminará ou destruirá. Depois tornamo-nos mães”. – Meredith

21. As nossas acções não nos definem: “Fizeste uma coisa horrível. Isso não significa que sejas uma pessoa horrível”. – Bailey

22. A mudança é um mal necessário: “É uma daquelas coisas que as pessoas dizem: ‘Não podes seguir em frente até largares o passado’. Deixar ir é a parte fácil, o seguir em frente é que é doloroso. Então, por vezes, lutamos contra isso, tentamos manter as coisas na mesma. No entanto, as coisas não podem continuar na mesma. A um certo ponto, temos de largar e seguir em frente. Porque não importa o quanto seja doloroso, é a única forma de crescermos”. – Meredith

23. Amor é tudo de que precisamos: “Quero que me prometas uma coisa: se amas alguém, dizes-lhe, mesmo que estejas assustado que não seja a coisa certa, mesmo que tenhas medo que vá causar problemas, mesmo que vá virar a tua vida do avesso. Di-lo e di-lo em voz alta”. – Mark

Se me permitem, eu vou ainda acrescentar outra lição de vida que a série nos ensinou. Provavelmente aquela que acho mais importante e que nunca deve ser esquecida.

24. Não somos apenas aquilo que pensamos sobre nós próprios: “Às vezes desejamos que as pessoas se vejam da forma como nós as vemos”, Mark. O Mark disse isto sobre a Callie, ao Dr. Webber, quando estava a morrer. E é algo tão bonito de se dizer. E raios, é verdade. Quantas são as pessoas que conhecemos que achamos fantásticas, por um motivo ou por outro, e que têm dificuldade em ver-se dessa forma? Ou que mesmo que em grande parte do tempo saibam aquilo que são e o que valem, às vezes esquecem-se? Nessas alturas precisam de ser lembradas daquilo que são aos nossos olhos.

Artigo original em:

http://www.buzzfeed.com/emilyorley/23-life-lessons-we-learned-from-greys-anatomy

Tradução e comentários: Diana Sampaio